nsc
dc

Investigação da CPI

Governo federal comprou vacina Covaxin por valor 1.000% mais alto do que o estimado

Negociação não foi feita com a fabricante Bharat Biontech, mas sim com a Precisa Medicamentos, representante da empresa no Brasil

22/06/2021 - 08h20 - Atualizada em: 22/06/2021 - 10h28

Compartilhe

Metrópoles
Por Metrópoles
CPI da Covid investiga a compra da vacina
CPI da Covid investiga a compra da vacina
(Foto: )

Um documento do Ministério das Relações Exteriores mostra que o governo federal negociou, em fevereiro deste ano, a compra da vacina indiana Covaxin por um valor 1.000% mais alto do que o preço anunciado pela fabricante seis meses antes. A informação foi revelada pelo jornal Estado de S.Paulo, publicada na terça-feira (22).  

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

Em agosto do ano passado, o imunizante contra a Covid-19 foi orçado em 100 rúpias, valor que equivale a US$ 1,34 a dose, segundo a Bharat Biotech, laboratório que fabrica o fármaco. A informação consta em um telegrama sigiloso da embaixada brasileira na Índia. 

No entanto, o valor acordado com o Ministério da Saúde é mais alto, de US$ 15 por unidade — o que equivale a R$ 80,70, na cotação da época. 

Também chama atenção o fato de que, diferentemente das outras vacinas adquiridas pelo Ministério da Saúde, o contrato foi articulado com a Precisa Medicamentos, representante da Bharat Biotech no Brasil, e não com o próprio laboratório. A CPI da Covid investiga a compra. Senadores apontam possível favorecimento do executivo à companhia.

Leia mais no Metrópoles, parceiro do NSC Total.

Colunistas