O governo federal estuda a criação de um plano que possa garantir a segurança nas escolas e creches de todo o país. A medida, que será discutida entre os ministérios, ocorre após o ataque em Blumenau, no Vale do Itajaí, que deixou quatro crianças mortas nesta quarta-feira (5). Uma pessoa foi presa suspeita pelo crime.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

Segundo a deputada federal Ana Paula Lima (PT), que está na cidade representando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o plano nacional de combate à violência nas escolas deve envolver os ministérios da Educação e de Direitos Humanos, e tem como objetivo coibir novos ataques nas unidades de ensino.

— Atos como esse têm acontecido em diversas regiões do país e, aqui em Blumenau, que nunca aconteceu atos dessa natureza, enfrentar ocasiões como essa nos atordoaram — pontua.

Mãe de criança relata desespero em creche após tragédia em Blumenau: “Me joguei no chão”

Continua depois da publicidade

Ainda segundo a deputada, o foco deve ser a educação e o controle das redes sociais, principalmente por conta dos discursos de ódio. Um grupo de trabalho já vem estudado as maneiras de como ele deve ser executado. A data para a execução desse plano, no entanto, não foi divulgada.

— Tem um grupo de trabalho no Ministério da Educação, já com fatos que ocorreram em outras localidades do país, mas pelo fato do que aconteceu em Blumenau, nós precisamos divulgar esse plano para que a gente possa estender para todos os municípios do nosso país. É importante que essa cultura da paz seja estabelecida — complementa.

Além disso, às 15h, o presidente deve se reunir com o ministro da Educação, Camilo Santana, e o ministro da Justiça, Flávio Dino, para discutir as medidas. Mais cedo, ele prestou solidariedade às famílias por meio das redes sociais e chamou o caso de “monstruosidade”.

“Não há dor maior que a de uma família que perde seus filhos ou netos, ainda mais em um ato de violência contra crianças inocentes e indefesas. Meus sentimentos e preces para as famílias das vítimas e comunidade de Blumenau diante da monstruosidade ocorrida na creche Bom Pastor. Para qualquer ser humano que tenha o sentimento cristão, uma tragédia como essa é inaceitável, um comportamento, um ato absurdo de ódio e covardia como esse”, disse a publicação.

Continua depois da publicidade

O fato em Blumenau ocorreu no Centro de Educação Infantil Cantinho Bom Pastor, localizado na Rua dos Caçadores, bairro Velha. De acordo com a Polícia Militar, um homem de 25 anos invadiu o local e matou ao menos quatro crianças. Ele teria chegado em uma moto, pulado o muro e atacado os estudantes que estavam em um parque nos fundos da unidade.

Outras cinco crianças também ficaram feridas e foram encaminhadas ao Hospital Santo Antônio, em Blumenau. Segundo a unidade, elas tem entre 0 a 2 anos.

A Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) já confirmou que ficará responsável pela investigação do ataque. As aulas nas redes municipal e estadual foram suspensas. Além disso, o governador Jorginho Mello (PL) decretou luto oficial de três dias.

As crianças assassinadas durante o ataque a creche em Blumenau foram identificadas como Bernardo Cunha Machado, de 5 anos, Bernardo Pabst da Cunha, 4, Larissa Maia Roldo, 7 e Enzo Marchesin Barbosa, 4.

Continua depois da publicidade

Leia também:

Ataque em Blumenau ocorreu um mês antes de data que marca tragédia em Saudades

“Tá junto. Tá morta”: como avô soube que a neta era uma das vítimas da chacina de Saudades

Destaques do NSC Total