nsc
an

Litoral Norte

Greve dos servidores deixa mais de mil alunos sem transporte escolar em Barra Velha

Paralisação já dura quase 20 dias e área mais afetada é a da educação

04/10/2019 - 13h17

Compartilhe

Redação
Por Redação AN
Greve de servidores públicos em Barra Velha
Greve de servidores públicos em Barra Velha
(Foto: )

A greve dos servidores municipais de Barra Velha deixa aproximadamente 1.300 alunos sem transporte escolar. Nesta sexta-feira (3), a paralisação já dura quase 20 dias. Dentre as reivindicações, está a luta dos trabalhadores por reajuste salarial. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público de Barra Velha (Sintrambav), os funcionários não recebem aumento há quase três anos.

Com a falta dos servidores, a área da educação é o setor mais atingido. A estimativa do sindicato é de cerca de 200 trabalhadores tenham aderido a grave, inclusive os motoristas que realizam este transporte na cidade. O município conta comum total de mil servidores no quadro de funcionários. Agora, os pais de alunos da rede municipal estão procurando alternativas para levar e buscar as crianças na escola.

— Por volta das 6h30min a mãe traz a Érica para a escola, mas no período do meio-dia ela volta a pé para casa — explica o pai de Érica, Wagner Meireles, em entrevista à NSC TV.

Para se ter ideia, na Escola Básica Municipal Manoel Antônio de Freitas, no bairro Itajuba, estudam cerca de 900 estudantes. Nesta semana, mais de 500 ficaram em casa porque não havia transporte. O impacto na educação por causa da greve também afeta as rotinas familiares. A atendente Juliana Ramos Cabral tem dois filhos matriculados na unidade escolar e conta que, nesta semana, precisou alterar a programação da família por causa da greve.

— Ah, altera toda a rotina com os filhos em casa. A gente não sabe se eles vão perder o ano, se vão conseguir recuperar (as aulas). A única coisa que queremos é ver nossos filhos na escola porque é um direito deles — defende Juliana.

Ônibus escolar parado após greve ser deflagrada em Barra Velha
Ônibus escolar parado após greve ser deflagrada em Barra Velha
(Foto: )

O Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) considerou a paralisação ilegal, mas o sindicato recorreu, e ainda espera uma decisão sobre o recurso. Ainda de acordo com o Sintrambav, pauta de reivindicações é por melhores condições nos salários dos servidores.

— Faz três anos que Barra Velha não faz repasse pela inflação. Hoje o nosso percentual está em torno de 15,26% de defasagem salarial pela inflação. Outro assunto é o vale refeição que diversas secretarias recebem, como a de obra e saúde, e os outros servidores não — menciona Jossias da Rocha, presidente Sintrambav.

Em nota, a Prefeitura de Barra Velha confirmou que 1.300 alunos estão aula por causa dos funcionários que estão em greve. O município também informou que os dias de paralisação estão sendo descontados da folha de pagamento dos servidores. A situação da área da saúde já está normalizada, agora o governo municipal busca soluções para resolver a situação da greve o mais breve possível.

Leia também:

SC é o único Estado em que as engenharias recebem mais bolsas que outras áreas

Governo Bolsonaro faz novo recuo e libera mais 679 bolsas de pesquisa

Colunistas