O futuro ministro da Fazenda, Fernando Haddad, afirmou nesta quarta-feira (14) que os investidores precisam de um pouco mais de tranquilidade e esperar para ver as medidas que serão implementadas no governo do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

— É preciso ter um pouco mais de calma. Ouve a pessoa, vê o plano de trabalho, espera a posse, não é assim que funcionam as coisas. As coisas vão ser apresentadas, demonstradas, e vão ficar claras — disse ele em entrevista ao canal Globo News.

— Agora, vamos levar em consideração a herança que herdamos.

Por que Haddad na Fazenda e indefinições para a economia preocupam

Continua depois da publicidade

O ex-prefeito de São Paulo foi questionado pelos entrevistadores por que o mercado fica tão agitado com anúncios do novo governo. Nesta terça-feira (13), por exemplo, o Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores brasileira (B3) fechou com queda de 1,71% após Lula confirmar que o ex-ministro Aloizio Mercadante vai presidir o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). Mais cedo, a queda persistia, com a aprovação da Lei das Estatais na Câmara.

Lira frustra planos do PT e prevê concluir PEC na próxima semana

— Teve uma eleição e teve consequências, vamos administrar essa situação para que, no curto prazo, se demonstre uma trajetória de sustentabilidade. Ninguém quer outra coisa a não ser isso, mostrar que, apesar das decisões tomadas por esse governo — declarou.

— Vamos botar a casa em ordem, é o compromisso que estou assumindo.

Haddad criticou as medidas adotadas pelo governo do presidente Jair Bolsonaro (PL) antes das eleições.

Lula anuncia Mercadante como novo presidente do BNDES

— Temos um desafio muito grande, o governo diante da iminente derrota tomou uma série de providências ao arrepio da equipe econômica, o que fizeram é loucura — apontou, citando a redução da fila do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) e a inclusão de beneficiários no Auxílio Brasil.

Continua depois da publicidade

O futuro ministro disse também que pretende ter 100% de seu time decidido até o final da próxima semana, e também indicou o desejo de criar um conselho na pasta para ouvir periodicamente. Esse grupo seria composto por alguns dos economistas que apoiaram a eleição de Lula, como Persio Arida e André Lara Resende.

— Gostaria muito de manter a interlocução com ex-ministros e ex-presidentes do Banco Central — afirmou.

Leia também

Lula chora ao ser diplomado e ressalta: “Povo reconquistou a democracia”

Destaques do NSC Total