nsc
    an

    Alívio

    Homem salva bebê engasgada em Joinville: "fiz como se fosse com a minha filha"

    Fernando Bonifácio Teixeira trabalhava em sua mecânica quando ouviu os gritos por socorro da mãe da recém-nascida

    06/03/2021 - 07h00

    Compartilhe

    Patrícia
    Por Patrícia Della Justina
    Bebê engasgada é salva
    Bombeiros ajudaram depois que bebê foi salva por Fernando
    (Foto: )

    Nem em seus melhores sonhos Fernando Bonifácio Teixeira, de 34 anos, imaginou que o curso para gestantes feito em companhia de sua esposa há alguns meses salvaria a vida de outra criança, em pleno dia de trabalho. Ele é sócio de uma mecânica no bairro Guanabara, zona Sul de Joinville, e estava em um dia tranquilo em termos de movimento no estabelecimento. Até ouvir alguns gritos de socorro por volta das 11 horas da manhã da última quinta-feira. 

    > Quer receber notícias de Joinville e Norte de SC por WhatsApp? Clique aqui

    Fernando e o sócio correram até o portão de uma casa vizinha. Eles se depararam com a mãe desesperada segurando a recém-nascida que havia acabado de se engasgar e não estava correspondendo. Em um ato instintivo, Fernando imediatamente realizou manobras de primeiros socorros na tentativa de salvar a menina. 

    - Quando olhei ela já estava roxinha e sem reação. Ela estava com as vias respiratórias entupidas. Protegi a cabeça dela e virei de cabeça para baixo - explica 

    Ele conta que realizou o procedimento, mas o bebê continuou sem reação. Logo na sequência, ele aplicou outro procedimento de massagem cardíaca. 

    > Saiba o que fazer quando o bebê engasgar com o leite materno

    Fernando fez massagem cardíaca para salvar a bebê recém-nascida
    Fernando fez massagem cardíaca para salvar a bebê recém-nascida
    (Foto: )

    Ainda sem resposta, Fernando tentou desobstruir as vias colocando os dedos na boca do recém-nascido. Neste momento, ela voltou a respirar. 

    A família veio do Haiti e tem outras duas crianças de três e cinco anos de idade. A bebê tem apenas 19 dias de vida. 

    - Não dava para entender o que a mãe estava falando, mas o desespero era nítido - lembra. 

    Os bombeiros foram acionados enquanto Fernando realizava as manobras e chegaram em torno de cinco minutos. 

    > Derrame: como reconhecer e o que fazer diante de um acidente vascular cerebral

    - Em nenhum momento eu fiquei nervoso. Eu fiz na adrenalina e não tinha caído muito a ficha sobre o que eu tinha feito, de ter salvado uma criança. Foi automático - conta. 

    O bebê foi levado ao hospital. Fernando recebeu o reconhecimento dos bombeiros que agradeceram e o parabenizaram pela perfeição das manobras. 

    Eu fiz como se fosse com a minha filha - destaca Fernando. 

    Fernando conta que tem uma bebê de dois meses e, por isso, fez um curso junto com a esposa durante a gestação. Dentre as técnicas de banho e cuidados com recém-nascidos, os primeiros socorros também foram ensinados.

    - A profissional comentou: Fernando, poucos pais têm essa curiosidade que você tem [sobre técnicas de socorros] - destaca. 

    Ele nunca havia passado por uma situação semelhante e diz até que não sabia dessa capacidade. 

    Já em casa, quando começou a se dar conta do ocorrido, a reação não poderia ter sido diferente:

    - Quem diria que em um dia como esse, tão calmo, eu passaria por essa situação? A gente não sabe o dia de amanhã. Quando cheguei em casa, abracei forte a minha filha porque poderia ter sido com ela - comenta. 

    Colunistas