nsc
    an

    Investigação

    Influencer de Joinville será investigado por apologia ao crime nas redes sociais

    Vídeo em que ele sugere colocar o produto escondido na bebida das mulheres gerou revolta na internet

    09/10/2020 - 14h19 - Atualizada em: 09/10/2020 - 14h26

    Compartilhe

    Patrícia
    Por Patrícia Della Justina
    Imagem mostra o vídeo em que o influencer faz a sugestão
    O canal tem mais de 48 mil seguidores
    (Foto: )

    Um vídeo feito por um influencer digital de Joinville tem ganhado repercussão nas redes sociais e será investigado pela Polícia Civil do município. Nas imagens, ele aparece divulgando um produto que atua como estimulador sexual. A repercussão iniciou por causa de uma fala do influencer que levaria à apologia ao crime. Na fala, ele sugere que o produto seja colocado por homens na bebida de mulheres que não queiram ter relações sexuais em um primeiro encontro.

    > Quer receber notícias de Joinville e Norte de SC por WhatsApp? Clique aqui e entre no grupo do A Notícia

    – "Tesão de vaca" e "tesão de touro", negão. "De touro" para os homens e "de vaca" para as mulheres. Isso aqui é um excitante natural, negão. Isso aqui, tu joga no copo e deixa a magia acontecer. Negão, eu tenho certeza que vai vender mais é o "tesão de vaca", porque vai ter nego comprando isso aqui para botar no copo das meninas. E, às vezes, a menina quer ir para frente com o cara,  mas aí ela pensa "não, não. Na primeira vez não, vou me fazer de difícil". Aí tu joga no copo dela – sugere o influencer no vídeo.

    A publicação foi excluída momentos depois da conta Canal do Miami, que tem mais de 48 mil seguidores. No entanto, algumas pessoas gravaram e publicaram nas redes sociais repudiando o ato e criticando a possível apologia ao crime de estupro, conforme os internautas. O tema chegou à Polícia Civil e, agora, deve ser investigado.

    Segundo a delegada Cláudia Lopes Gonzaga, responsável pela Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (Dpcami) de Joinville, neste primeiro momento, a principal linha de investigação será orientada pelo Artigo 287 do Código Penal sobre apologia de crime ou criminoso, que consiste em fazer, publicamente, apologia de fato criminoso ou de autor de crime.

    Aparentemente, segundo ela, o produto seria um estimulador, e não o conhecido como "boa noite, Cinderela", no qual as vítimas ficam desacordadas. Dessa forma, não seria considerado apologia ao crime específico de estupro.

    > "Você lembra como é ter 10 anos?", pergunta joinvilense em vídeo sobre menina grávida após estupro

    – Seria considerado estupro se a vítima perdesse a consciência, inclusive de vulnerável – diz a delegada.

    Conforme ela, o princípio que leva a prática a ser considerada crime é fazer apologia publicamente, em rede social.  Mesmo que o conteúdo tenha sido excluído das redes sociais, a delegada afirma que seria crime efetivamente concebido.

    – A retirada mostra um arrependimento. O arrependimento é considerado judicialmente e juridicamente. Mas, a priori, o crime aconteceu, até porque teve toda essa repercussão – afirma.

    Influencer se retratou nas redes sociais

    Procurado pela reportagem, o influencer Fabrício dos Santos Simão, 28 anos, disse que essa não foi a intenção da publicação. Ele se retratou nas redes sociais, pediu desculpas e disse que não percebeu que o comentário poderia instigar o crime.

    – O meu erro em tudo isso foi influenciar as pessoas a, possivelmente, tomar outras atitudes. Fui infeliz na piada. A intenção não era instigar a cometer um crime – reforça.

    Fabrício explica que o produto é composto por taurina e pó de guaraná. Conforme o humorista, o produto não altera a consciência de quem o ingere. Ele ainda afirma que a intenção era vendê-lo a pessoas que querem intensificar as relações já existentes entre companheiros, e não para o cometimento de crimes.

    – O vídeo chegou em pessoas que não me conhecem. O recorte do vídeo que foi publicado depois dá a entender algo errado. Quem me conhece sabe que eu trabalho com humor e que tomo muito cuidado. Acabou virando bola de neve. No vídeo, eu estava falando de um excitante natural, de quando a pessoa já está com uma mulher. O produto, que precisa ser diluído em bebida, não altera a opinião da mulher. Se um não quer, dois não transam. Mas as pessoas que não conhecem começaram a comparar com o "boa noite cinderela", começaram a relatar situações que realmente são sérias – conta.

    Ele reforçou que o conteúdo da conta é totalmente destinado ao humor e que toma cuidado justamente por ter um grande número de visualizações.  Em nova publicação, ao se retratar publicamente nesta quinta-feira, o humorista disse:

    – Eu fui muito na inocência. Não me liguei da apologia que acabei fazendo involuntariamente. Queria pedir desculpa para vocês. Muitas mulheres já passaram por esse tipo de situação, e eu entendi. Quem se justifica não cresce. Estou passando realmente para me desculpar aqui – pontua.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Polícia

    Colunistas