nsc
    santa

    publicidade

    Justiça

    João Pizzolatti deixa o Presídio Regional de Blumenau 

    Liberdade provisória foi concedida nesta terça-feira (8) pelo Superior Tribunal de Justiça. Ele foi solto às 22h

    09/10/2019 - 11h12 - Atualizada em: 09/10/2019 - 14h40

    Compartilhe

    Redação
    Por Redação Santa
    João Pizzolatti deixa o Presídio Regional de Blumenau
    Imagem da prisão do ex-deputado João Pizzolatti em 17 de maio deste ano
    (Foto: )

    João Alberto Pizzolatti deixou o Presídio Regional de Blumenau, às 22h, desta terça-feira (8). Ele teve a liberdade provisória concedida após decisão da 6ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que concedeu habeas corpus ao ex-deputado federal em sessão na tarde desta terça.

    A decisão unânime dos cinco ministros revogou a prisão preventiva e a substituiu por outras medidas cautelares. Na decisão, consta que os ministros consideraram a ordem de prisão desproporcional.

    Mesmo recebendo a liberdade provisória, Pizzolatti terá que cumprir essas medidas, como apresentação à Justiça a cada dois meses, proibição de mudança de domicílio sem prévia autorização judicial e internação em clínica de tratamento psiquiátrico e alcoólico. Também foi mantida a suspensão do direito de dirigir, medida descumprida após o ex-parlamentar ter sido flagrado dirigindo na cidade de Rio dos Cedros.

    Relembre o caso

    Pizzolatti estava no Presídio Regional de Blumenau desde maio deste ano. O ex-deputado foi preso após se envolver em um acidente em dezembro de 2017. Um jovem que estava em outro veículo foi atingido e teve ferimentos graves, incluindo queimaduras de 1º e 3º grau.

    Segundo consta no processo, Pizzolatti afirmou ter bebido logo depois do acidente. As testemunhas relataram que o ex-deputado dirigia em zigue-zague pela pista antes da colisão na rodovia SC-421, entre Blumenau e Pomerode.

    Ainda não é assinante? Assine e tenha acesso ilimitado ao NSC Total, leia as edições digitais dos jornais e aproveite os descontos do Clube NSC.

    Deixe seu comentário:

    publicidade

    publicidade

    publicidade

    publicidade