Joinville registrou mais duas mortes por dengue nesta quinta-feira (1°) e, com o número, chega a três óbitos pela doença neste 2024. As vítimas tratam-se de duas mulheres, de 81 e 85 anos, ambas com comorbidades.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Joinville e região no WhatsApp

As pacientes morreram na terça-feira (30), moravam no bairro Aventureiro e estavam internadas na rede pública de saúde. A primeira morte do ano pela doença na cidade foi confirmada no dia 12 de janeiro. A vítima tratava-se de um homem de 57 anos.

Vacina contra a dengue do Butantan apresenta eficácia geral de 79,6%

Atualmente, conforme o painel da dengue de Joinville, mais de 5 mil casos já foram notificados e, desses, 674 foram confirmados; 2,191 estão em investigação; e 2.184 foram descartados.

Continua depois da publicidade

No ano passado, Joinville chegou a ser a cidade do Brasil que mais registrou mortes por dengue. Conforme o painel de dados da prefeitura, foram registrados 36 óbitos e mais de 30 mil casos em 2023, o que fez com que o município, que já vivia uma epidemia da doença, atingisse um número histórico.

Para este ano, Joinville anunciou planos para combater a dengue. As ações envolvem visitas nas casas, conscientização nas escolas e um método criado na Austrália, o Wolbachia, uma técnica que consiste na liberação de mosquitos machos que não picam nem transmitem doenças para o acasalamento. No entanto, devido à uma alteração genética dos mosquitos liberados, as descendentes fêmeas não chegam à vida adulta, reduzindo as chances de transmissão para as futuras gerações.

Essa técnica já está sendo usada e a expectativa é que, de fato, evite que a cidade viva uma nova epidemia.

Leia também

Como Joinville pretende enfrentar a dengue após ano com mais mortes pela doença

Destaques do NSC Total