nsc
an

Saúde

Joinville volta a distribuir insulina após descartar lote por falta de energia elétrica

Pacientes ficaram uma semana sem acesso à medicação após problema na conservação

13/01/2022 - 14h32

Compartilhe

Hassan
Por Hassan Farias
Farmácia Escola teve falta de energia no último dia 30 em Joinville
Farmácia Escola teve falta de energia no último dia 30 em Joinville
(Foto: )

A Farmácia Escola de Joinville voltou a distribuir as insulinas de ação rápida na última terça-feira (11) após uma semana sem medicação disponível para os pacientes. O município descartou um lote com 1.897 canetas após uma queda de energia elétrica comprometer a conservação dos produtos.

> Acesse para receber notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

A queda de energia aconteceu em 30 de dezembro, durante o recesso da unidade. Com isso, desde a reabertura do serviço, no dia 3, as pessoas ficaram sem poder retirar a insulina glulisina (Apidra).

Segundo a prefeitura, o prédio ficou sem energia durante muito tempo e o gerador não deu conta de manter a temperatura adequada das geladeiras.

Os medicamentos foram colocados em quarentena por alguns dias até o laboratório fabricante emitir um laudo recomendando o descarte do material.

A previsão inicial do município era a retomada da distribuição até o início desta semana. Um lote com 1,7 mil doses foram entregues pelo Estado na última terça-feira, quando começaram a ser entregues aos pacientes. De acordo com o município, a quantidade é suficiente para o consumo mensal. 

Pacientes precisaram encontrar alternativas

Durante a semana sem distribuição de insulinas, os pacientes que precisaram do medicamento tiveram que comprar em farmácia particulares ou achar outra solução para não ficar sem o tratamento.

Kettlin Carolina de Santana Machado, de 29 anos, foi uma das pessoas impactadas. Ela tinha canetas de insulinas em casa, mas o suficiente até o último domingo (9). Para o início da semana, precisou recorrer à doações de integrantes da Associação de Diabéticos de Joinville (Adijo)

- A gente precisa tomar a insulina para comer. É todo dia, todo momento em que vai se alimentar, precisa da insulina para metabolizar o açúcar, o carboidrato, tudo que for ingerir. O tratamento não pode parar - explica.

Ela conseguiu retirar as insulinas e todos os insumos necessários para o restante do mês na última terça-feira na Farmácia Escola. Segundo ela, o atendente informou que as caixas nem tinham sido abertas completamente e já tiveram que dar início à distribuição por causa da demanda.

Leia também:

Surto de gripe lota emergência de hospitais em Joinville: "Situação crítica"

Pacientes ficam sem insulina em Joinville após falta de energia elétrica afetar farmácia

Dengue volta a preocupar em Joinville com meses de calor; cidade teve 16 mil casos em 2021

Colunistas