nsc
dc

Crise de saúde

Justiça dá 48 horas para Estado informar ações contra falta de medicamentos em hospitais de SC

Ministério Público cobra medidas e afirma que unidades de saúde estão desabastecidas de insumos para intubação de pacientes com Covid-19

23/03/2021 - 04h00 - Atualizada em: 23/03/2021 - 09h56

Compartilhe

Jean
Por Jean Laurindo
Hospitais e unidades de saúde alertaram Estado nas últimas semanas sobre escassez de medicamentos para intubação
Hospitais e unidades de saúde alertaram Estado nas últimas semanas sobre escassez de medicamentos para intubação
(Foto: )

A Justiça deu prazo de 48 horas para o governo do Estado apresentar as medidas adotadas para a distribuição de medicamentos usados para tratamento de pacientes com Covid-19 a hospitais de Santa Catarina, além de informar as quantidades disponíveis, possibilidade de substituição e as dosagens utilizadas.

> Regiões Norte e Foz do Itajaí são as únicas a ter aumento na fila de espera por UTIs

A decisão foi publicada na tarde desta segunda-feira (22) e atende a um pedido da 33ª Promotoria de Justiça, que acompanha em uma ação civil pública as ações do Estado no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus.

Essa ação já havia exigido do Estado um plano de ação detalhado para abastecimento dos estoques de medicamentos para intubação de pacientes, como sedativos e bloqueadores neuromusculares, desde julho de 2020.

> Receba as principais notícias de SC pelo Whatsapp

O Ministério Público (MPSC) informa ainda que em fevereiro, em conjunto com o Tribunal de Contas do Estado (TCE/SC), recomentou ao Estado providencias para evitar a falta de insumos e profissionais nas UTIs. A orientação surgiu após casos ocorridos em outros Estados, como Amazonas, onde houve falta de oxigênio e mortes de pacientes por conta das dificuldades no abastecimento.

O MPSC afirma que o Estado apresentou o plano de ação para distribuição de medicamentos, mas alerta que hospitais e unidades de pronto atendimento (UPAs) do Estado estão desabastecidos de medicamentos do chamado kit intubação, em meio ao cenário de aumento de internações e falta de leitos de UTI registrado nas últimas semanas no Estado.

> Alesc desiste de comprar Kit Covid, sem eficácia comprovada

MP cobra medidas mais restritivas em SC

O abastecimento de medicamentos para pacientes internados em UTIs é apenas um dos pontos em que o Ministério Público acompanha de perto as ações do Estado. Nas últimas duas semanas, o MPSC cobrou do Estado a adoção de medidas mais restritivas de circulação para reduzir o número de casos e internações por conta da Covid-19. A Justiça decidiu que a definição sobre um possível lockdown em SC deveria ser dada pelo Centro de Operações de Emergência em Saúde (Coes), que na última semana descartou o fechamento total das atividades e definiu novas regras para o Estado.

A Procuradoria-Geral do Estado (PGE/SC) informou na manhã desta terça-feia (23) que ainda não foi notificada sobre a decisão. 

Leia também

> Bandidos armados com metralhadora roubam vacinas da Covid após invadir unidade de saúde

> Acompanhe dados da vacinação em cada município de SC no Monitor da Vacina

> Reunião para resolver falta de 'kit intubação' é cancelada porque Anvisa não enviou e-mail

Colunistas