nsc
    dc

    Processo

    Justiça determina afastamento do prefeito de Bom Retiro, acusado de improbidade

    Segundo o Ministério Público, ele usava caminhonete da Secretaria de Saúde para fins pessoais

    26/08/2019 - 16h54

    Compartilhe

    Por Samuel Nunes
    O prefeito de Bom Retiro (dir.), Vilmar José Neckel, ao lado do vice, Everaldo Capistrano da Cunha
    O prefeito de Bom Retiro (dir.), Vilmar José Neckel, ao lado do vice, Everaldo Capistrano da Cunha
    (Foto: )

    A Justiça determinou nesta segunda-feira (26) o afastamento imediado do prefeito de Bom Retiro, Vilmar José Neckel (PP) das funções, por um prazo de 180 dias. A decisão foi em atendimento a um pedido do Ministério Público de Santa Catarina (MP-SC), que o acusa de improbidade administrativa. O político ainda pode recorrer da decisão.

    Segundo a promotoria, o prefeito usava uma caminhonete doada pelo Ministério da Saúde como veículo oficial do chefe do Executivo. O carro, no entanto, deveria ser destinado a ações para a melhoria de indicadores epidemiológicos, como o combate à dengue, chikungunya e zika virus.

    Uma série de vídeos gravados por investigadores mostram o prefeito usando o carro para atividades corriqueiras do dia a dia, como ir à padaria ou a bancos. Além disso, durante uma viagem dele a Brasília, a caminhonete ficou parada, sem uso, esperando o retorno dele à cidade. O carro também foi visto sendo usado em horários fora do expediente da Secretaria Municipal de Saúde, como em fins de semana.

    Segundo o juiz Edison Alvanir Anjos de Oliveira Júnior, o afastamento de Neckel do cargo se deve à necessidade de garantir o andamento das investigações. O magistrado também determinou o bloqueio de R$ 825 mil e a apreensão da caminhonete, para que o veículo passe por perícia. A Justiça ainda o proibiu de se aproximar a menos de 100 metros da sede da prefeitura, das secretarias e de manter contato com testemunhas do processo.

    De acordo com o Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC), esse não é o primeiro processo aberto contra Neckel. O prefeito também responde a outras ações de improbidade administrativa, posse e porte de arma de fogo e falsidade ideológica.

    A reportagem tentou contato com a defesa do prefeito, mas até o momento ninguém foi encontrado para comentar o caso. A prefeitura, no entanto, informou que Neckel já se afastou das funções.

    Colunistas