nsc
    nsc

    Saúde

    Lesão do ligamento cruzado anterior: saiba mais sobre um dos problemas que mais atinge os joelhos dos atletas

    Ortopedista especialista em joelho, dr. João Hollanda fala sobre o a LCA e tira dúvidas sobre diagnóstico, tratamento e recuperação

    16/07/2020 - 10h05

    Compartilhe

    Estúdio
    Por Estúdio NSC
    LCA é um dos problemas que mais atinge os joelhos dos atletas
    LCA é um dos problemas que mais atinge os joelhos dos atletas
    (Foto: )

    Seja por sua anatomia ou por sua funcionalidade, a articulação do joelho é uma das mais complexas do corpo humano. Precisa de estabilidade para suportar o peso do corpo, mas também de flexibilidade para a realização dos movimentos, principalmente quando estes resultam de atividades esportivas.

    O joelho é também a articulação mais vulnerável a lesões no atleta, principalmente aqueles envolvidos com movimentos laterais, rotações e impactos repetitivos.

    Dentre os problemas que mais atingem os joelhos dos atletas está a lesão do ligamento cruzado anterior (LCA). Esta é a principal indicação para cirurgia entre os atletas. Segundo o Dr. João Hollanda, ortopedista especialista em joelho.

    — O atleta com ligamento cruzado anterior rompido sente o joelho solto, instável. Quando o atleta insiste em jogar futebol com o ligamento rompido, há uma alta probabilidade de apresentarem eventos repetitivos de entorse, o que, por sua vez, pode levar a lesões secundárias, principalmente nos meniscos ou na cartilagem articular — explica o especialista.

    Mas não são só os atletas que podem sofrer este tipo de lesão. Ao apoiar o pé de forma errada no chão em um movimento de mudança rápida de direção, por exemplo, você pode se lesionar - e é algo que pode acontecer com qualquer um e a qualquer momento. Outras formas de lesionar o ligamento cruzado, sim, são mais comuns aos atletas. Ao saltar, se o aterrissar for mal executado, o resultado pode ser uma lesão. E no choque entre dois atletas o corpo pode girar sobre o joelho enquanto o pé permanece preso ao chão.

    Durante muito tempo a lesão do ligamento cruzado anterior foi responsável pela interrupção, muitas vezes definitivas, da carreira de muitos atletas. Com o avanço da medicina, porém, os resultados pós-cirúrgicos e o acompanhamento correto mudaram esse cenário.

    — O ligamento cruzado anterior, atualmente, é operado guiado por vídeo, com pequenas incisões. Os implantes para fixação do ligamento também evoluíram muito. Atualmente, o médico deixa o ligamento refeito muito mais parecido com o ligamento original do que com as técnicas utilizadas até o início dos anos 2000 — comenta Dr. João.

    Diante de tantas situações que podem resultar em uma lesão do ligamento cruzado anterior, mesmo sendo atleta, será que é possível adotar medidas que evitem este problema? O doutor João Hollanda explica que ter uma musculatura forte e equilibrada, um bom controle neuromuscular, um bom padrão de movimento e um controle adequado da carga de treinamento, ajudam a prevenir essa lesão.

    O ortopedista de joelho destaca ainda que o tipo de calçado, a superfície e até mesmo fatores climáticos podem contribuir com a lesão, principalmente se estivermos falando da prática esportiva.

    Sendo um atleta, a lesão do ligamento anterior é algo que vai ser sentida muito rapidamente e a procura por um diagnóstico e tratamento também vai ser prontamente encaminhada. Mas e no dia a dia? O dr. João Hollanda respondeu a algumas perguntas importantes e que podem fazer a diferença para quem sofre esta lesão.

    "O atleta com ligamento cruzado anterior rompido sente o joelho solto, instável", explica dr. João Hollanda
    "O atleta com ligamento cruzado anterior rompido sente o joelho solto, instável", explica dr. João Hollanda
    (Foto: )

    Como percebo que tive uma lesão do ligamento cruzado anterior?

    O diagnostico deve ser feito a partir de uma consulta médica. Mas, sempre que o atleta apresentar inchaço e dor no joelho após um movimento torcional, esta será a primeira hipótese diagnostica a ser pensada.

    A que tipo de tratamento vou ser submetido ao me lesionar? Necessariamente vou passar por cirurgia?

    O tratamento não cirúrgico é indicado para pessoas mais velhas, que não participem de esportes que envolvam frequentes mudanças de direção e que apresentem poucas queixas de falseio. A cirurgia é indicada para pessoas mais jovens, ativas e mais sintomáticas.

    Sobre a recuperação, terei que fazer repouso? Por quanto tempo?

    Na maior parte das vezes o paciente é orientado a mobilizar o joelho e apoiar o peso do corpo sobre o joelho operado conforme tolerado pela dor. Protocolos mais restritivos podem ser indicado em caso de lesões associadas, principalmente nos meniscos ou cartilagem articular.

    É necessário fazer fisioterapia?

    A reabilitação é tão importante quanto a cirurgia em sí para o resultado final da cirurgia. Deve iniciar ainda no hospital e termina apenas após o retorno completo ao esporte, que acontece geralmente entre nove meses e um ano após a cirurgia

    Após a recuperação, posso ter algum tipo de sequela, como a limitação de movimento?

    Esta é uma complicação que pode acontecer, principalmente quando a reabilitação após a cirurgia fica aquém do ideal.

    O joelho lesionado está mais suscetível a uma nova lesão?

    O risco de uma nova lesão depende de fatores como gênero, idade e atividade física praticada. Mulheres, jovens e que retornem para atividades como o futebol constituem o grupo de maior risco, em que uma nova lesão pode acontecer em até 30% dos pacientes operados.

    Médico responsável: dr. João Hollanda - CRMSP 113136

    Quer saber mais sobre lesão do ligamento cruzado anterior e outras questões relativas aos joelhos?

    Acesse a página do dr. João Hollanda

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Especiais Publicitários

    Colunistas