nsc
santa

Fome

Mãe furta comida para café dos filhos e deixa bilhete em SC: "Prometo devolver"

Bilhete deixado no trailer do Dr. Honesto, em Rodeio, comoveu proprietário

15/10/2021 - 09h00 - Atualizada em: 15/10/2021 - 14h16

Compartilhe

Bianca
Por Bianca Bertoli
Renato contou sobre as cartas deixadas no trailer em reportagem especial do Santa
Renato contou sobre as cartas deixadas no trailer em reportagem especial do Santa
(Foto: )

Entre as cartas deixadas no trailer do Dr. Honesto, que vende produtos sem a presença de um atendente, às margens da BR-470, em Rodeio e Apiúna, uma foi feita por uma mãe que, sem dinheiro para comprar comida para os filhos, furtou alguns produtos. “Venho através desta informar que peguei algumas coisas para o café dos meus filhos, mas não vou roubar, quando eu tiver, prometo devolver”, escreveu em um pedaço de papel.

> Receba notícias de Blumenau e do Vale pelo WhatsApp

Os bilhetes e cartas que Renato Lagatta, 59, coleciona desde a inauguração do trailer no Vale do Itajaí foram mostrados pelo Santa no especial ‘Os dois lados da BR-470’. Renato colocou um trailer em desuso próximo à rodovia há quase dois anos para vender os itens feitos pela esposa. O objetivo é angariar fundos para a casa de apoio que atende pessoas em situação de rua localizada atrás do primeiro ponto de vendas (já são três; dois em Rodeio e um em Apiúna).

Entre os papéis, o da mãe que sofreu com a crise durante a pandemia do coronavírus é um dos que mais marcou o proprietário. Para Renato, aliás, o objetivo do trailer também é esse: alimentar quem precisa, mesmo que isso signifique prejuízo ao caixa.

> Saiba mais sobre as “Cartas ao Dr. Honesto”

Dentro da urna que recebe o pagamento dos quitutes, as notas e moedas se misturam aos recados. Muitos rabiscam uma espécie de recibo, outros parabenizam o dono pela coragem e atitude de criar o Dr. Honesto.

Renato lembra quando a primeira carta chegou. Era começo de 2020 e fazia poucas semanas que o trailer havia sido inaugurado. As pessoas ainda estavam se acostumando com o formato — e questionando muito se daria certo.

Estava mesmo. Renato já calculou e concluiu que “a gama de honestidade passa de 99%”. Ou seja, é possível ter lucro em um negócio que consiste em acreditar que quem parar e pegar uma pipoca, café, pão, geleia, cocada ou outros itens ali disponibilizados vai pagar a conta mesmo sem ser cobrado.

Xô, desonestidade

Renato e as cartas que coleciona do Dr. Honesto
Renato e as cartas que coleciona do Dr. Honesto
(Foto: )

Menos de 1% dos “clientes” que aproveitam a falta de atendente para furtar mercadorias ou dinheiro deu dor de cabeça ao proprietário cerca de 15 vezes. São pessoas que simulam depositar a quantia, mas colocam na urna papel em branco; que enchem o carro de produtos sem pagar por nenhum ou que, mesmo a pé, carregam o que podem para trocar por drogas.

> Leia também: Como surgiu a BR-470? Rodovia nasceu do trajeto de mulas e do desejo pelo desenvolvimento

Renato instalou uma câmera de segurança para visualizar todos esses episódios e poder entregar provas no momento de fazer o boletim de ocorrência. Às vezes, o comportamento social resulta em solução antes da conclusão do inquérito policial.

Já houve criminoso exposto nas redes sociais que precisou deixar a região por ficar conhecido como o “ladrão do Dr. Honesto”. Prova que a proposta deu tão certo que todos se sentem responsáveis pelo sucesso dela. Se o Dr. Honesto vai bem, ainda há esperança.

Colunistas