nsc

publicidade

Alerta

Mais de 300 se vacinam contra o sarampo em Florianópolis após caso suspeito no RD Summit

Vigilância Epidemiológica realizou força-tarefa entre sábado e domingo

11/11/2019 - 15h05 - Atualizada em: 11/11/2019 - 19h21

Compartilhe

Por Guilherme Simon
sarampo em SC
(Foto: )

Aproximadamente 350 pessoas que estiveram no RD Summit se vacinaram contra o sarampo em Florianópolis neste fim de semana, depois que a Secretaria de Saúde da cidade notificou um caso suspeito da doença entre os participantes do evento de marketing digital. Realizado no Centro de Eventos da Capital entre a última quarta (6) e sexta-feira (8), o RD Summit 2019 reuniu em torno de 12 mil pessoas.

Conforme a Secretaria de Saúde, a suspeita de sarampo foi confirmada na sexta. Como procedimento padrão, a Vigilância Epidemiológica da cidade solicitou que os participantes entrassem em contato com órgão e buscassem se vacinar.

Entre sábado (9) e domingo (10), uma força-tarefa foi montada para vacinação na Secretaria de Saúde da Capital, que resultou na aplicação das cerca de 350 doses contra o sarampo.

A orientação segue para que os participantes que ainda não se vacinaram procurem os postos de saúde, preferencialmente até esta segunda (11). A vigilância pode ser contatada pelos telefones (48) 3212-3910 ou (48) 3212-3907. Aqueles que não moram em Florianópolis, devem procurar as unidades em suas respectivas cidades.

Segundo a Vigilância Epidemiológica, o paciente com suspeita de sarampo veio de São Paulo, onde há um surto da doença, e também esteve em outros ambientes públicos: no Restaurante Seu Zé, no Restaurante Ostradamus e no Restaurante Trapiche Bar no Mercado Público.

Há a expectativa de que o resultado dos exames para confirmação ou não da doença no paciente saiam entre esta segunda e terça (12). No entanto, é possível que a confirmação leve mais tempo caso haja a necessidade de exames complementares.

Ação rápida pode impedir desenvolvimento da doença

A enfermeira responsável pelo sarampo na Dive/SC, Alda Maria Rodolfo da Silva, ressalta que é importante procurar a vacinação o mais rápido possível após o contato com alguém possivelmente infectado.

— Depois que há esse contato, nós iniciamos a ação de bloqueio, que tem a intenção de fazer com que a vacina haja no organismo antes do vírus e impeça o desenvolvimento da doença — comenta Alda.

De acordo com ela, o bloqueio é possível caso a vacinação seja realizada num prazo de até 72 horas após o contato. No entanto, mesmo que este tempo tenha expirado, as pessoas ainda assim devem procurar se vacinar.

Campanha para jovens entre 20 e 30 anos

A enfermeira Alda Maria Rodolfo da Silva destaca que a faixa etária que tem estado mais vulnerável à doença em Santa Catarina é a de jovens entre 20 e 30 anos, e reforça que a próxima etapa da campanha nacional de vacinação contra o sarampo terá como foco justamente este público. Ela inicia na próxima segunda-feira (18) e segue até o dia 30 de novembro.

SC soma 59 casos confirmados no ano

Neste ano em Santa Catarina, 59 casos de sarampo já foram confirmados e há 15 em investigação, conforme o último boletim sobre a doença da Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive/SC), divulgado na semana passada. Um novo boletim atualizando o quadro da doença deve ser divulgado entre esta terça e quarta-feira.

Entre os casos confirmados até o momento, três foram em tripulantes de um navio que atracou no litoral catarinense no mês de fevereiro de 2019; e os outros 56 casos estão distribuídos geograficamente nos municípios de Florianópolis (23), Joinville (8), Palhoça (5), Concórdia (5), Barra velha (3), São José (2), Governador Celso Ramos (2), Guaramirim (1), Balneário Camboriú (1), Schroeder (1), Guabiruba (1), São João Batista (1), Imbituba (1), Mafra (1) e Monte Castelo (1).

sarampo
(Foto: )

Perguntas e respostas sobre doença

O que é sarampo?

O sarampo é uma doença infecciosa aguda, de natureza viral, potencialmente grave. Pode causar complicações à saúde e, em casos mais graves, levar à morte.

Como é transmitido?

O sarampo é uma doença altamente contagiosa. O vírus se espalha facilmente pelo ar através da respiração, tosse ou espirros. Uma pessoa com sarampo pode transmitir a doença para uma média de 12 a 18 pessoas que nunca foram expostas ao vírus anteriormente ou que não tenham se vacinado.

Quais são os sintomas?

Os principais sintomas do sarampo são: febre, tosse, coriza, aparecimento de manchas vermelhas no corpo e olhos avermelhados. Apresentando sinais e sintomas do sarampo, o serviço de saúde deve ser procurado imediatamente para que seja feito o diagnóstico e tratamento da doença.

Qual o tratamento?

Não existe tratamento específico para o sarampo. Os medicamentos são utilizados para reduzir o desconforto ocasionado pelos sintomas da doença. Não faça uso de nenhum medicamento sem orientação médica e procure o serviço de saúde mais próximo, caso apresente os sintomas descritos acima.

Quais as complicações?

O sarampo pode trazer complicações à saúde, deixando sequelas para toda a vida ou ainda levando à morte. As complicações podem ocorrer de acordo com a faixa etária, sendo que as crianças são mais suscetíveis a elas.

Crianças:

- Pneumonia: cerca de 1 em cada 20 crianças com sarampo pode desenvolver pneumonia, causa mais comum de morte por sarampo em crianças pequenas;

- Otite média aguda (infecções de ouvido): ocorre em cerca de 1 em 10 crianças com sarampo e pode resultar em perda auditiva permanente;

- Encefalite aguda: 1 em cada 1.000 crianças pode desenvolver essa complicação e 10% destas podem morrer;

- Morte: 1 a 3 a cada 1.000 crianças doentes podem morrer em decorrência de complicações do sarampo.

Adultos:

- Pneumonia

Gestantes:

- Mulher em idade fértil (10 a 49 anos) não vacinada antes da gravidez pode apresentar parto prematuro e o bebê pode nascer com baixo peso;

- É importante se vacinar antes da gestação, pois a vacina é contraindicada durante a gestação.

Como prevenir?

A vacina é a única forma de prevenir o sarampo. Quais são as vacinas que previnem o sarampo?

- Tríplice viral (protege contra o sarampo, caxumba e rubéola)

- Tetra viral (protege contra o sarampo, caxumba, rubéola e varicela (catapora).

Quando tomar as vacinas?

- Primeira dose: aos 12 meses de idade (tríplice viral)

- Segunda dose: aos 15 meses de idade (tetra viral) - última dose por toda a vida

Quem não tomou as doses quando bebê/criança pode tomar depois?

Sim. Pessoas com idade entre 1 e 29 anos devem receber duas doses da vacina contra o sarampo.

- Caso esteja nesta faixa etária e não tenha tomado nenhuma dose, a indicação é procurar um posto de saúde para atualizar a caderneta de vacinação. As doses devem ser tomadas com um intervalo mínimo de 30 dias.

- Caso tenha tomado apenas uma dose, a indicação é procurar um posto de saúde para completar o esquema vacinal com a segunda dose.

- Quem comprova as duas doses da vacina do sarampo, não precisa se vacinar novamente.

Quem não tomou nenhuma dose, perdeu o cartão de vacinação ou não se lembra?

Quem não tomou nenhuma dose, perdeu o cartão de vacinação ou não se lembra precisa atualizar a caderneta de acordo com a seguinte faixa etária:

- De 1 a 29 anos: duas doses

- De 30 a 49 anos: uma dose

Lembrando que tomar a vacina mesmo que você já tenha tomado anteriormente não traz nenhum risco à saúde. Então, se você não lembra se já tomou ou não, é melhor repetir a dose do que ficar sem proteção.

Onde tomar a vacina?

As vacinas contra o sarampo são seguras, gratuitas e estão disponíveis nas mais de 1.000 salas de vacinação dos postos de saúde dos 295 municípios catarinenses.

Leia também

Sarampo: sintomas, tratamento e quem deve tomar a vacina

O que pode explicar o surto de sarampo em Santa Catarina

Ainda não é assinante? Assine e tenha acesso ilimitado ao NSC Total, leia as edições digitais dos jornais e aproveite os descontos do Clube NSC.

Deixe seu comentário:

publicidade