nsc
    dc

    "Quem ama, cuida"

    Manter uma rotina e buscar atividades alternativas auxiliam a manter a saúde mental

    Trabalho artesanais, cozinha terapia e brincadeiras foram algumas formas que leitores encontraram de “sobreviver” a pandemia

    13/01/2021 - 12h38

    Compartilhe

    Por Janaína Laurindo
    Dona Ana Granzier, de 81 anos
    Dona Ana Granzier, de 81 anos, produzindo peças de artesanato
    (Foto: )

    A bancária aposentada Patrícia Ocáriz, moradora de Florianópolis, tem aproveitado o período da quarentena para se arriscar em várias áreas. Na cozinha e no artesanato, ela aproveita as horas livres para aprender e também ensinar. Patrícia grava vídeos com atividades desenvolvidas durante o confinamento e compartilha através do Youtube. A aposentada encaminhou uma gravação especial para o movimento “Quem Ama, Cuida” da NSC Comunicação, onde a mãe dona Ana Granzier, de 81 anos, ensina como produzir uma porta retrato com botões.

    — Eu fiz pra ela sobreviver a essa pandemia, sempre foi muito ativa e ensinei a trabalhar com botões — conta Patrícia.

    As atividades fazem parte da rotina na casa da aposentada, e se tornaram essências neste período em que o isolamento passou a fazer parte da vida das pessoas. Durante os últimos meses, boa parte dos brasileiros sentiu algum sintoma de ansiedade, tristeza e depressão. Diante do desconhecido, o medo passou a ser um sentimento padrão de quase todos os seres humanos e muitos quadros de ansiedade foram acentuados. No isolamento, necessário principalmente aos que integram o grupo de risco, se viram "desnutridos" emocionalmente, como aponta a psicóloga cognitivo comportamental, Graziele Zwielewski.

    > Coronavírus: veja os cuidados para praticar esportes de forma segura durante a pandemia

    — Muitos foram buscar nutrição em outras coisas, então percebo muitos quadros de compulsão alimentar aumentando, pessoas foram buscar prazer mudando seus comportamentos sexuais e passando a utilizar mais a pornografia pra se distrair, com isso vemos um aumento de disfunções sexuais, algumas pessoas deixaram suas rotinas ou perderam devido ao desemprego e passaram a apresentar também problemas com o sono.

    Atividades como Patrícia exerce com sua mãe são fundamentais para criar uma rotina e fortalecem os laços sociais.

    > Estudo aponta presença da Covid-19 no país desde novembro de 2019

    — Uma forma de ajudar os idosos é a família se fazer presente, não deixando eles isolados. Tenho alguns pacientes jovens que tem idosos na família e que não os veem desde o início da pandemia. Bom senso é importante! Vejo a diferença nos avanços e na estabilidade emocional daqueles idosos que não receberam seus familiares para um momento em família desde março e aqueles que receberam com devidas medidas de segurança — observa Graziele.

    > Leia também: NSC Comunicação lança movimento “Quem Ama, Cuida”

    Outro vídeo recebido pelo movimento “Quem Ama, Cuida” da NSC Comunicação, é de Ijadir Tibes, de Irani, que também encontrou nos trabalhos manuais uma forma de se manter ocupado durante o período de isolamento.

    — Já faz oito meses que estou parado, desde que começou esse coronavírus, então para ocupar meu tempo eu comecei a inventar de tudo um pouco para ocupar minha memória — conta.

    Ijadir está afastado do trabalho por ser do grupo de risco, e acredita ser importante valorizar a possiblidade de passar esse período sem se expor ao vírus.

    > Total de mortes por Covid-19 no Brasil é maior que a população de 98% das cidades de SC

    — A empresa me deixou em casa e eu tenho que fazer a minha parte me cuidando.

    Em casa, crianças, jovens e idosos sentiram a necessidade de criar uma nova rotina, e isso é fundamental, como aponta a especialista.

    — Cuidar da rotina é importantíssimo pra que problemas de sono e de humor não apareçam. É importante estimular a prática de atividades físicas que podem ser feitas em casa enquanto tomam sol. Isolar com responsabilidade emocional é muito saudável — reforçar a psicóloga Graziele.

    E não importa a idade, a pequena Natália, de 6 anos, natural de Sombrio, também sabe que é preciso criar atividades para se distrair. No vídeo gravado pela mãe Tatiana Couto, ela conta como tem feito para passar esse período longe dos amiguinhos.

    Confira os vídeos do movimento “Quem, ama cuida”:

    “Quem Ama, Cuida”

    Neste movimento os catarinenses são convidados a enviar vídeos com dicas de segurança e bons exemplos de como estão fazendo para cuidar de si e dos mais próximos. Com a intenção de envolver o maior número de pessoas no combate ao vírus e numa retomada responsável, a NSC apresenta em todas suas plataformas, os vídeos enviados. Ao mesmo tempo, durante os intervalos na NSC TV e nas rádios do grupo, é possível acompanhar vídeos com dicas de prevenção validadas por especialistas.

    > Inscreva-se em nossa newsletter sobre Coronavírus

    Para participar basta enviar seu vídeo com bons exemplos e dicas de prevenção para o número (48) 99118-5112.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas