O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sinalizou a aliados que indicará Marina Silva (Rede) para chefiar o Ministério do Meio Ambiente após ver frustrada a tentativa de fazer uma dobradinha entre a aliada e a senadora Simone Tebet (MDB-MS).

Continua depois da publicidade

Receba notícias de SC por WhatsApp

Lula conversou com ambas nesta sexta-feira (23). A costura era para que Marina aceitasse o cargo de autoridade climática do governo e Tebet, o ministério.

A ex-senadora da Rede, no entanto, se antecipou à abordagem e defendeu que a autoridade climática ficasse sob a guarda da pasta do Meio Ambiente. Mais que isso, disse que ela deveria ser ocupada por um perfil técnico, não político, deixando Lula sem brecha para convidá-la ao posto no formato que o petista desejava.

Leia também: Duas crianças são achadas mortas em SC e série de assassinatos tem contornos brutais

Continua depois da publicidade

Na ocasião, Marina ainda deixou claro que gostaria de ocupar o ministério. Tebet, por sua vez, também verbalizou a Lula nesta sexta que só assumiria a chefia da pasta ambiental caso a integrante da Rede aceitasse a autoridade climática.

O presidente eleito, então, ficou sem saída e, resignado, indicou a aliados a escolha por Marina no Ministério do Meio Ambiente.

Futuro de Tebet incerto

Com a decisão, o futuro de Tebet no governo de Lula é incerto. Na primeira conversa que teve com a emedebista, pela manhã, o petista não chegou a convidá-la para um ministério, mas colocou sobre a mesa algumas soluções que poderiam contemplá-la. Entre elas, citou os ministérios do Meio Ambiente, Turismo e até mesmo Cidades –pasta que já foi reservada ao MDB, mas está prometida a uma indicação da bancada da Câmara.

Leia mais: Jorginho Mello anuncia mais três nomes para compor o novo governo de SC

Depois, Lula conversou com Marina. Em seguida, teve nova reunião com Tebet, que acabou sem definições. O presidente, porém, afirmou à senadora emedebista querer que ela faça parte do primeiro escalão do governo.

Continua depois da publicidade

Lula embarcou para São Paulo com Tebet a bordo. No avião, conversaram sobre generalidades.
Terceira colocada na corrida presidencial, com 4,2% dos votos, Tebet fez campanha para Lula durante o segundo turno. O engajamento da emedebista foi elogiado por petistas, para os quais ela ajudou a atrair votos de centro.

Aliados avaliam que contemplá-la no ministério é uma forma de dar a cara de frente ampla que Lula diz querer na sua gestão.

Vaivém de Marina com Lula

Contemplar Marina, que já foi ministra do Meio Ambiente de Lula, rompeu com o petista e retomou os laços na eleição presidencial deste ano, é também um meio de acomodar aliados que fujam do espectro político do PT.

Desde cedo nesta sexta, no entanto, quando especulou-se que Tebet poderia assumir a pasta, houve forte resistência de ambientalistas e servidores do órgão.
Aliados da ex-ministra, por sua vez, reafirmavam que ela não aceitaria a assumir o órgão na construção proposta pelo PT. Até o meio da tarde, por sua vez, membros de seu partido não haviam sido informados de sua decisão.

Continua depois da publicidade

“Esclareço que no encontro não tratamos sobre convite para assumir a autoridade climática, que defendo ser um cargo técnico vinculado ao Ministério do Meio Ambiente”, postou Marina no início da noite em suas redes sociais.

Reportagem por Catia Seabra, Julia Chaib e João Gabriel

Destaques do NSC Total