nsc
hora_de_sc

Polêmica

MC VK, amigo de MC Kevin, diz que tem "sofrido e sido ameaçado"

A família de MC Kevin acusa MC VK de ter incentivado comportamentos que resultaram na morte do funkeiro

24/05/2021 - 07h58

Compartilhe

Folhapress
Por Folhapress
MC VK
"Kevin era meu amigo, padrinho da minha filha", disse o funkeiro, em vídeo publicado na Instagram na noite de sexta-feira (21)
(Foto: )

O MC Victor Elias Fontenelle, conhecido como MC VK, afirmou em uma rede social que tem sofrido e recebido diversas ameaças após a morte de MC Kevin, nome artístico de Kevin Nascimento Bueno, em 16 de maio. O caso está sendo investigado. "Perdi o meu amigo, um verdadeiro irmão há alguns dias. Tenho sofrido muito pelo fato, sido ameaçado, mas continuo forte pela minha família e pela história que tivemos."

"Kevin era meu amigo, padrinho da minha filha", disse o funkeiro, em vídeo publicado na Instagram na noite de sexta-feira (21). "A gente morava praticamente juntos no apartamento - até ele mesmo falava, eu, ele e Gabriel, que é produtor pessoal dele. Kevin é meu empresário, meu alicerce, pessoa que pedi para Deus, que eu possa confiar. Aquela pessoa que quando você está com negócio aqui dentro [aponta para o peito] você solta para ela, porque você sabe que ela é a melhor pessoa para ouvir. E assim eu para ele também."

"A gente era amigo, amigo de verdade. Aonde eu ia, ele ia. Pessoas que eu conhecia, ele passou a conhecer. Pessoas que ele conhecia, eu passei a conhecer. Era um vínculo muito forte. Quem recebia a gente, sabia que eu estava junto e sabia do meu carinho por ele e o carinho dele por mim. Era muito recíproco. Eu não só recebia, eu dava também. Era muito bom a nossa relação. Eu tinha prazer de ficar do lado dele, e ele tinha prazer de ficar do meu lado. A gente tinha essa sensação boa de ficar um com o outro", continua Fontenelle.

> Família de MC Kevin detona MC VK por tragédia: "Preferiu incentivar"

Bianca Dominguez, que estava com MC Kevin quando ele caiu da sacada do hotel em que o cantor estava hospedado em um hotel na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio de Janeiro, disse acreditar que uma "brincadeira de mau gosto" foi o que causou a morte do artista. Ao jornalista Roberto Cabrini, a modelo deu sua versão sobre o incidente e confirmou que conheceu o cantor na praia e aceitou dinheiro para fazer sexo com ele. Ela disse que os amigos do funkeiro, Jonathas Cruz e Victor Elias Fontenelle, o MC VK, assustaram Kevin ao insinuar que a esposa dele, Deolane Bezerra, estava chegando no quarto.

Em depoimento à polícia, MC VK confirmou que ele e MC Kevin tiveram um dia de consumo de drogas, álcool e sexo a três. MC VK era empresariado havia dois anos e amigo havia sete anos de Kevin. Ele disse que não sabe o que aconteceu enquanto o casal estava na varanda e não entendeu por que Kevin se pendurou. Que "não acredita que ele tenha tido vontade de se matar, mas, sim, de passar para o andar de baixo" e que "a única razão que poderia levá-lo" a fazer isso "era o receio de ser descoberto por Deolane". Na última semana, em uma série de mensagens, a família de MC Kevin acusou MC VK de ter parte da responsabilidade pela tragédia, por ter "incentivado" certos comportamentos do cantor.

> MC Kevin lançou o single Minha Última Música um mês antes de morrer

No vídeo publicado na rede social, MC VK disse ainda que "quando ele [MC Kevin] precisava de mim em momentos tristes, ele vinha pedindo conselhos". "Quando eu precisava dele nos momentos tristes, ele me dava conselhos. Ele me estendia a mão, eu estendia a mão. Kevin também precisava de mim, ele sabe disso. Mas não financeiramente. Kevin precisava do que eu precisava, de um ombro amigo, de um conselho. A gente saia e fazia tudo, mas no momento de pensar, de falar de energia - ele gostava muito de falar de energia - a gente era muito sério no momento de falar de Deus. A gente aprendeu a verdade com o produtor dele, o Bruno, cinco anos atrás, a gente aprendeu essa verdade da vida, de fazer e colher o bem."

"Bruno era como um pai para ele [Kevin] na época. Bruno começou a me instruir também. [Kevin] foi morar sozinho em um apartamento na zona norte, mas ele não gostava de ficar sozinho. Nosso vínculo era forte, quem falar que não era. Você falar que está mentindo, porque nosso vínculo era forte", continua. "Quem acompanhou a gente viu. E viu o carinho que ele sentia por mim, e ele reconhece no coração até aonde ele está, e ele está reconhecendo. Ele é luz e ele sempre falou que sempre foi movido por energia. Ele conhece a minha energia, ele conhece a pessoa que eu sou. Ele me transformou. Eu já vi ele na luta. Eu já vi o choro dele. Os planos dele sendo construídos. Não vi só ele bem-sucedido", prossegue.

> Saiba como receber notícias do NSC Total no WhatsApp

"Não estou sabendo lidar. Estou sendo massacrado, injustiçado. Estou apanhando. Estão me agredindo muito, minha família, minha filha. Estão me colocando na parede. Não tenho reação para isso. Não tenho respostas para isso", diz MC VK. "Já deixei tudo na mão da polícia, deixei meu celular, minha senha. Eu fiz dois testemunhos e falei para o advogado voltar lá de novo, porque estou à disposição de tudo. Não estou fugindo, estou na disposição. Só eu sei o que estou passando e não vou fugir dessa luta", explica VK.

"Não sei o por quê. Eu quero saber o por quê. Perdi um amigo, não perdi um voo. Perdi um amigo do coração, a única pessoa que queria meu bem, no meu ponto de vista. Era ele. Eu conversei com ele [Kevin] na minha mente e pedi para ele me proteger. Pedi para ele me dar discernimento nesta vida. É como ele sempre disse: 'Deus escreve certo por linhas tortas'. Lá na frente a gente entende, hoje a gente não entende nada."

Colunistas