nsc
santa

Pandemia

Média de casos de Covid em Blumenau chega a 1 mil pela 1ª vez em contraste às UTIs vazias

Cidade tem quase 6 mil infectados, mas apenas três em UTIs

18/01/2022 - 17h34 - Atualizada em: 18/01/2022 - 17h43

Compartilhe

Bianca
Por Bianca Bertoli
AGs de Blumenau estão com alta demanda de pacientes com sintomas gripais
AGs de Blumenau estão com alta demanda de pacientes com sintomas gripais
(Foto: )

O expressivo aumento de casos de coronavírus em Blumenau resultou na maior média móvel já registrada na cidade durante a pandemia: 1.057,9. É a primeira vez que o indicador, que representa o total da última semana dividido por sete, passa de mil. 

> Receba notícias de Blumenau por WhatsApp. Clique aqui e entre no grupo do Santa

Nesta terça-feira (18), o município confirmou 1.471 diagnósticos, superando o recorde negativo de 1.231 contabilizado no último dia 14. Em contrapartida, os leitos de UTI Covid estão praticamente vazios, com três moradores de Blumenau hospitalizados nesses espaços, o menor número desde maio de 2020.

Os dados foram divulgados pela prefeitura na tarde desta terça e serão contabilizados pelo Estado ainda nesta semana. Desde o começo do mês a cidade vive recordes diários de novos casos de Covid-19. O número de pessoas com o vírus ativo chegou a 5.941 — o maior desde o início da pandemia. 

Leia também > Por que Blumenau não reabre a Central da Covid-19 na Vila Germânica

Veja ainda > Mortos por Covid em Blumenau nos primeiros dias de 2022 não tomaram a vacina

O aumento, porém, não reflete nas unidades de terapia intensiva, que estão com três pacientes com a doença — o melhor cenário desde 21 maio de 2020. Com os 80,6 mil contaminados desde a chegada do vírus e 697 óbitos, a taxa de letalidade está em 0,88%, abaixo do percentual catarinense de 1,54% e do Brasil, de 2,7%.

— Estamos em outro tipo de pandemia, onde tem um vírus com transmissão muito acelerada, mas basicamente [exige] atendimento ambulatorial — disse o secretário de Saúde de Blumenau, Winnetou Krambeck, em transmissão ao vivo da prefeitura nesta terça-feira. 

Os casos mais leves, que não chegam às UTIs, estão lotando as unidades de saúde. O Santa mostrou nesta segunda-feira (17) as longas filas que se formam diante dos Ambulatórios Gerais. São pessoas que passam horas esperando por atendimento e testagem. Nas enfermarias dos hospitais há nove internados, sete deles de Blumenau. 

Para efeito de comparação, há exatamente um mês, em 18 de dezembro, eram 185 casos ativos, média móvel de 27,6 e 12 internados em estado grave. Janeiro de 2022 tem quebrado quase todos os índices da pandemia, exceto os relacionados às mortes e internações. Para especialistas, o contraste tem uma explicação: é a vacinação fazendo o papel de evitar óbitos e evolução para casos graves.

Colunistas