nsc
nsc

Confraria Itapema

Entenda como o mercado automotivo se prepara neutralizar impactos no clima

Meio ambiente e segurança veicular são lados de uma mesma moeda na cadeia produtiva da Volvo,  que é representada em Santa Catarina pela Dimas

19/10/2021 - 12h14 - Atualizada em: 27/10/2021 - 09h31

Compartilhe

Estúdio
Por Estúdio NSC
XC40 Recharge Pure Electric
Lançamento XC40 Recharge Pure Electric
(Foto: )

Em 1959, o engenheiro Nils Bohlin introduziu pela primeira vez os cintos de segurança de três pontos na produção em série do modelo PV 544, da Volvo. Na época, a fabricante sueca abriu mão dos direitos de patente para que todos pudessem se beneficiar desta inovação.

> As diferenças entre carros elétricos, híbridos e a combustão

Mais de 1 milhão de vidas salvas depois e a empresa preserva o princípio de inovar com melhorias que vão além dos limites de suas fábricas e veículos. Desta vez, movida pela certeza de que as mudanças climáticas são o teste final de segurança.

Desde 2021, todos os veículos da Volvo são híbridos ou elétricos, reduzindo significativamente a emissão de CO². Com a meta de se tornar neutra no clima até 2040, a cadeia de valor tem sido atualizada globalmente para engajar fornecedores e revendedores a adotarem medidas sustentáveis e de responsabilidade social. Um plano ambicioso, aprovado pela Science Based Targets iniciative (SBTi)*, a partir de objetivos do Acordo de Paris de limitar o aquecimento global a bem menos de 2 ºC em comparação com níveis pré-industriais.

Dimas Volvo
circular economy
(Foto: )

As ações passam pelo emprego de energia elétrica de fontes limpas e 100% renováveis, pela redução na emissão de gases das operações logísticas e melhor aproveitamento dos materiais e componentes. Vale para a empresa, mas também como incentivo aos fornecedores, comprometidos em adotarem energia 100 % renovável até 2025.

Atualmente, as fábricas da Volvo são alimentadas por mais de 80% de eletricidade com impacto neutro no clima.

Economia circular

Um carro livre de couro, feito com 25% de plástico reciclado ou de base biológica, 40% de alumínio reciclado e 25% de aço reciclado já é realidade na Volvo. Baseado no conceito de economia circular, a marca tem maximizado os processos de reciclagem, preservando recursos naturais já escassos.

Atualmente, a remanufatura é empregada na fabricação de 50 peças diferentes, incluindo motores, caixas de velocidades, compressores turbo e argamassas. Somente no ano passado, foram economizadas 3.000 toneladas de CO² com a reutilização de 40 mil peças. No caso dos resíduos de produção, 95% foram reciclados a nível global, sendo 176.000 toneladas de aço, o que corresponde a 640.000 toneladas de CO².

dimas volvo
car on dam
(Foto: )

Em relação às baterias dos veículos híbridos e elétricos, a marca é a primeira fabricante a usar tecnologia blockchain ao longo de toda a cadeia de suprimentos do cobalto utilizado nas baterias. Além disso, são feitas inspeções periódicas nas fábricas para garantir aos colaboradores direitos e bem-estar sob práticas comerciais éticas e responsáveis.

A Dimas Volvo é patrocinadora do Confraria Itapema. Acesse o canal especial para saber mais sobre o evento

Leia também

Por que investir no mercado imobiliário de Florianópolis?

Colunistas