nsc
    dc

    Polêmica

    Michelle Bolsonaro pede proibição de música "Micheque", do Detonautas

    Canção satiriza depósitos que teriam sido realizados por Fabrício Queiroz na conta da primeira-dama

    26/09/2020 - 15h37

    Compartilhe

    Hassan
    Por Hassan Farias
    Primeira-dama Michelle Bolsonaro
    Primeira-dama prestou queixa na delegacia nesta semana em São Paulo
    (Foto: )

    A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, quer a proibição da música "Micheque", da banda Detonautas, por injúria, calúnia e difamação. Ela prestou queixa na Delegacia de Crimes Eletrônicos contra a canção, divulgada no início de setembro e que faz menção ao caso envolvendo Fabrício Queiroz. A informação foi publicada pelo jornal O Globo neste sábado (26).

    A música satiriza os depósitos de cheques no valor de R$ 89 mil que teriam sido realizados pelo ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos), na conta da primeira-dama.

    O caso também rendeu uma série de postagens no Twitter, em que os usuários perguntavam o motivo dos supostos depósitos. Em um dos versos da música, por exemplo, a banda pergunta: "Hey, Michelle, conta aqui para nós, a grana que entrou na sua conta é do Queiroz?".

    > "Não tem pergunta decente para fazer?", responde Bolsonaro sobre depósitos

    Michelle prestou queixas à Delegacia de Crimes Eletrônicos de São Paulo e alegou ser vítima de injúria, calúnia e difamação. Ela quer a retirada da música de todas as plataformas digitais, além de pedir a proibição dela ser executada em lugares públicos ou privados.

    A canção foi composta pelo vocalista da banda, Tico Santa Cruz, e conta com a participação do humorista Marcelo Adnet. Ele aparece imitando a voz de Jair Bolsonaro no início da música, em alusão ao caso em que o presidente disse a um repórter: "a vontade é encher tua boca com porrada".

    > Revista Time elege Felipe Neto e Bolsonaro entre 100 mais influentes do mundo

    Ouça a música:

    Colunistas