nsc
    dc

    Internet

    Usuários do Twitter viralizam pergunta de repórter a Bolsonaro sobre dinheiro de Queiroz a Michelle

    Nas redes sociais, assunto ficou entre os mais comentados e dividiu opiniões entre apoiadores e críticos do presidente

    24/08/2020 - 10h25 - Atualizada em: 24/08/2020 - 10h41

    Compartilhe

    Lariane
    Por Lariane Cagnini
    Bolsonaro
    Presidente não quis responder a questão sobre Michelle
    (Foto: )

    A #RespondeBolsonaro ficou entre os assuntos mais citados no Twitter depois que o presidente Jair Bolsonaro se negou a falar sobre pagamentos de Fabrício Queiroz à primeira-dama Michelle. O repórter do Jornal o Globo perguntou sobre repasse de R$ 89 mil, e o presidente disse "A vontade é encher tua boca com uma porrada, tá?".

    Saiba como receber notícias do NSC Total no WhatsApp

    Os usuários da rede social passaram a repercutir a fala, que ocorreu na tarde de domingo (23). Além de colocar a hashtag entre os assuntos mais comentados, a resposta do presidente gerou uma série de memes. 

    A quebra do sigilo bancário de Fabrício Queiroz, que está em prisão domiciliar, revelou novos repasses à primeira-dama Michelle Bolsonaro. Apoiadores do presidente também usaram o Twitter para defender Bolsonaro. 

    Na manhã desta segunda-feira (24), o presidente publicou na conta pessoal que "há pelo menos 10 anos o sistema Globo me persegue e nada conseguiram provar contra mim". 

    Ele também escreveu que aguarda explicações da família Marinho sobre a delação do "doleiro dos doleiros", "onde valores superiores a R$ 1 bilhão teriam sido repassados a eles", publicou.

    Entidades repudiam fala do presidente

    O presidente da ANJ (Associação Nacional de Jornais), Marcelo Rech, afirmou ser "lamentável que mais uma vez o presidente reaja de forma agressiva e destemperada a uma pergunta de jornalista".

    Como Florianópolis vai se preparar para o verão com coronavírus

    As entidades de defesa da liberdade de expressão e de imprensa Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo), Artigo 19, Conectas Direitos Humanos, Observatório da Liberdade de Imprensa da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e Repórteres sem Fronteiras divulgaram nota conjunta para condenar o ato do presidente.

    Segundo o texto, as entidades "se solidarizam com o repórter e condenam mais um episódio violento protagonizado por Jair Bolsonaro, cuja reação, ao ouvir uma pergunta incisiva, foi não apenas incompatível com sua posição no mais alto cargo da República, mas até mesmo com as regras de convivência em uma sociedade democrática".

    *Com informações da Folhapress

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas