nsc
dc

Política

Ministro da Educação diz priorizar prefeitos amigos de pastores a pedido de Bolsonaro

Fiéis não têm cargo público no ministério, mas participam de agendas com Milton Ribeiro frequentemente

22/03/2022 - 10h06

Compartilhe

Metrópoles
Por Metrópoles
Áudios foram divulgados nesta segunda-feira (21)
Áudios foram divulgados nesta segunda-feira (21)
(Foto: )

Áudios enviados pelo ministro da Educação, Milton Ribeiro, revelados pela Folha de São Paulo nesta segunda-feira (21), mostram a afirmação do profissional sobre o direcionamento de verbas do Ministério da Educação (MEC) a prefeitos indicados pelo pastor Gilmar. A atitude, conforme Ribeiro, é pedido do presidente Jair Bolsonaro (PL).

> Receba as principais notícias de Santa Catarina no WhatsApp

- Foi um pedido especial que o presidente da República fez para mim sobre a questão do [pastor] Gilmar [Silva dos Santos].

- A minha prioridade é atender primeiro os municípios que mais precisam, e, em segundo, atender a todos os que são amigos do pastor Gilmar - diz o ministro em reunião com prefeitos. 

Durante o encontro, Ribeiro fala sobre as verbas do Ministério da Educação, cortes no orçamento e liberação de recursos para obras por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Segundo a Folha, reuniões são facilitadas por meio de pastores próximos a Milton em restaurantes ou hotéis de Brasília. 

Os pastores Gilmar Silva dos Santos, presidente da Convenção Nacional de Igrejas e Ministros das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB), e Arilton Moura, assessor de Assuntos Políticos da CGADB, não têm cargo público no ministério, mas participam de agendas com o ministro Milton Ribeiro frequentemente. 

O Ministério Público (MP) solicitou que o Tribunal de Contas da União (TCU) investigue suposta priorização de lideranças evangélicas para agendas e recursos do MEC. 

O grupo atuaria com a facilitação de acesso ao titular da pasta e direcionamento de recursos para políticas públicas. De acordo com o jornal Estado de São Paulo, os dois trazem prefeitos à Brasília e também acompanham viagens de Milton Ribeiro, que também é pastor. 

Leia mais:

Brasil começa a indicar 4ª dose de vacina contra Covid-19

Multinacional cobra privatização e ameaça deixar a Celesc

Governo de SC explica promoção de secretário de Saúde do caso dos respiradores

Colunistas