Moradores da Baixada Santista, no litoral de São Paulo, e em cidades do Vale do Ribeira, no interior paulista, relataram tremores de terra na manhã desta sexta-feira (16). A movimentação foi registrada pela Defesa Civil de SP, que confirmou dois abalos sísmicos na região da cidade de Miracatu, a 138 quilômetros da capital. O fenômeno ocorreu por volta de 8h35, de intensidade entre 4,7 e 4,9 na escala Richter. Ainda não há informações sobre estragos ou vítimas por causa do tremor de terra.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

Já o Instituto de Sismologia da Universidade de São Paulo (USP) notificou abalo de 3,9 graus na região de Itariri, às 8h11 da manhã.

Um alerta para tremor de 4,7 graus foi enviado para celulares de moradores da região, que publicaram imagens nas redes sociais, por volta das 8h22. Há relatos de moradores de Itanhaém, Peruíbe e Registro nas redes sociais.

A empresária Ana Paula Martins Bertoldi Gato, de 52 anos, disse ao Estadão ter sentido as vibrações em Registro, no Vale do Ribeira. “Estávamos na cozinha e, de repente, a minha cristaleira e copos começaram a bater. Saí correndo para a varanda da minha casa para ver se passava algum caminhão pela rua ou algo do tipo, mas imediatamente recebi as notificações de terremotos no celular”, afirmou.

Continua depois da publicidade

“Gente, eu estava dando aula e eu senti um tremor na janela e na lousa. Pensei que estava ficando louco, fui no Facebook e vi uma mulher falando que sentiu um terremoto em Cajati e descobri que realmente aconteceu um terremoto em Miracatu”, escreveu um internauta, que se identificou como professor Yuri Pimentel.

“Tivemos um terremoto aqui em Peruíbe-SP. Nossos celulares receberam uma notificação, todos ao mesmo tempo, temos três aparelhos, sobre um terremoto com epicentro próximo daqui, o chão tremeu”, publicou o perfil de Maik Freitas.

*Por Gonçalo Junior, Estadão Conteúdo.

Leia também

Concursos públicos com 4.436 vagas são autorizados pelo governo federal

Cidade de SC tem explosão populacional e “boom” de construções

Destaques do NSC Total