nsc
hora_de_sc

Luto

Morre gaiteira Berenice Azambuja, compositora de 'É disso que o velho gosta'

Pioneira como mulher no tradicionalismo gaúcho, Berenice conquistou três Disco de Ouro

04/06/2021 - 15h26 - Atualizada em: 04/06/2021 - 15h47

Compartilhe

Clarissa
Por Clarissa Battistella
Berenice Azambuja tinha 69 anos e lutava contra um câncer de pâncreas
Berenice Azambuja tinha 69 anos e lutava contra um câncer de pâncreas
(Foto: )

Morreu na noite de quinta-feira (3), a gaiteira, cantora e compositora Berenice Azambuja, que ficou conhecida nacionalmente por um clássico do Sul do país: 'É disso que o velho gosta'. Hospitalizada em uma cidade do Norte gaúcho, a tradicionalista gaúcha lutava contra um câncer no pâncreas e morreu após uma parada cardíaca. As cerimônias de despedida ocorrem nesta sexta-feira (4).

> Fala de Juliana Paes sobre "bolsominion” e “delírios comunistas” vira polêmica entre famosos

Segundo o G1 RS, Berenice foi internada com Covid-19 em abril deste ano e, ao receber alta no mesmo mês, saiu da instituição tocando gaita e cantando a música de maior sucesso como forma de comemorar a vitória. 

> Morre o empresário Hugo Alencar, em Florianópolis, vítima da Covid-19

Natural de Porto Alegre, a gaiteira foi umas das mulheres pioneiras no tradicionalismo gaúcho. Com 17 discos gravados, conquistou três "Disco de Ouro".

Nas redes sociais, foi homenageada por outros músicos e fãs e foi chamada de rainha da música rio-grandense pela dupla César Oliveira e Rogério Melo:

"A história do nosso folclore é construída por vários ciclos e um dos mais relevantes tem a chancela de Berenice Azambuja, a mulher que levantou e defendeu a bandeira do seu povo com voz de clarim e uma “cordeona” no peito em forma de escudo enfrentando a tudo e a todos", escreveu a dupla.

Leia também

Atriz Camila Queiroz grava reality no Costão do Santinho

Erosão no Morro das Pedras pode aumentar com ressaca prevista para Florianópolis

Estupro e tortura de homossexual em Florianópolis são investigados pela polícia

Colunistas