nsc
dc

Luto

Morre o cardeal Dom Eusébio Oscar Scheid, ex-arcebispo de Florianópolis, vítima da Covid-19

Nascido em Luzerna, no Oeste de SC, Scheid participou do conclave que elegeu o Papa Bento XVI, em 2005

13/01/2021 - 15h23 - Atualizada em: 13/01/2021 - 15h34

Compartilhe

Augusto
Por Augusto Ittner
Dom Eusébio foi arcebispo de Florianópolis de 1991 a 2001.
Dom Eusébio foi arcebispo de Florianópolis de 1991 a 2001.
(Foto: )

Morreu nesta quarta-feira (13), aos 88 anos, o cardeal Dom Eusébio Oscar Scheid, vítima da Covid-19. O líder religioso nasceu em Luzerna, no Oeste de Santa Catarina, e se destacou em Florianópolis, onde atuou como arcebispo metropolitano da Capital de 1991 a 2001. Scheid participou do conclave que elegeu Bento XVI como papa, em abril de 2005 e tinha importante ligação com a Igreja Católica no Brasil.

> Receba notícias de Santa Catarina por WhatsApp. Clique aqui e saiba como

Dom Eusébio dedicou seis décadas de vida como sacerdote, sendo 39 anos no episcopado. Ele era arcebispo emérito do Rio de Janeiro e morava em São José dos Campos (SP). 

Em Santa Catarina, além de ter vivido na cidade natal, também passou por Corupá, no Norte, onde cursou o Ensino Fundamental e o Médio no Seminário dos Padres Coração de Jesus. Em 1954, começou os estudos de Filosofia em Brusque e depois se mudou para Roma, onde estudou Teologia.

Em janeiro de 1991, Dom Eusébio voltou a Santa Catarina, onde atuou por 11 anos na Arquidiocese Metropolitana de Florianópolis. Na Capital, o religioso foi responsável por criar seminários de teologia e filosofia, além de ter idealizado o Instituto Social João Paulo II. Durante esse período, presidiu a comissão que criou as dioceses de Criciúma e Blumenau.

Em 2001, Dom Eusébio foi transferido para a Arquidiocese do Rio de Janeiro e, em outubro de 2003, em cerimônia liderada pelo então Papa João Paulo II, se tornou cardeal. No Vaticano, o cardeal catarinense por conselheiro da Pontifícia Comissão para a América Latina e esteve presente na cerimônia que ascendeu Joseph Ratzinger como papa.

O religioso já estava internado com quadro de pneumonia desde o fim do ano passado, situação que se agravou depois que contraiu o coronavírus, no início desta semana. Dom Eusébio não resistiu e morreu na manhã desta quarta-feira (14).

"Agradecemos a Deus pela vida de Dom Eusébio e pelos seus 60 anos de ministério presbiteral, sendo 40 anos dedicados ao episcopado. Agradecemos por tudo o que fez pela nossa Diocese e demais Igrejas Particulares onde pastoreou. Seu ministério foi marcado pela preocupação na formação do clero, no incentivo à evangelização e na organização da pastoral", disse a Diocese de São José dos Campos (SP), em nota.

Colunistas