nsc
an

Violência

Motorista de app assassinado em Joinville cobrou mais segurança dias antes da morte

Evandro Telles esteve na Câmara de Vereadores de Joinville dias antes do crime

11/08/2021 - 12h57

Compartilhe

Lucas
Por Lucas Paraizo
Reunião de motoristas de Uber na Câmara de Vereadores de Joinville
Evandro Telles (no centro), ao lado do vereador Pastor Ascendino Batista (esquerda)
(Foto: )

Três dias antes de ser assassinado enquanto trabalhava, o motorista de aplicativo Evandro Telles Rodrigues, de 39 anos, esteve na Câmara de Vereadores de Joinville pedindo por mais segurança para a categoria. Ele acabou morto a facadas na noite de sábado (7) durante uma corrida no bairro Boa Vista.

> Receba notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

> Assine a newsletter do A Notícia e receba os destaques da região no seu e-mail

Na quarta-feira passada (4), Telles e outros representantes da classe tiveram uma reunião no gabinete do vereador Pastor Ascendino Batista (PSD). No encontro, os motoristas teriam demonstrado preocupação com a vulnerabilidade da profissão.

Presidente da comissão de Proteção Civil da Câmara de Vereadores, Ascendino levou o assunto à reunião do grupo desta terça (10). Motivados pelo caso de Telles e as reclamações dos motoristas, que fizeram um protesto em Joinville no domingo (8), os vereadores convocaram um debate específico sobre o tema para a semana que vem.

No dia 16, às 14h, o plenário da Câmara vai receber a Comissão de Proteção Civil, representantes da Associação dos Motoristas de Aplicativos de Santa Catarina (Amasc), das empresas de transporte por aplicativos, das polícias civil e militar e da Secretaria de Proteção Civil e Segurança Pública.

Relembre o caso

A morte de Telles, como era conhecido, é tratada pela polícia como um latrocínio (roubo seguido de morte) e já teve a investigação concluída, visto que os dois suspeitos foram presos horas depois do crime e teriam confessado. A Polícia Civil já encaminhou o caso à Justiça, indicando o julgamento por latrocínio ao jovem de 20 anos e um ato infracional ao adolescente de 17 que também teria participado.

Em depoimento, os suspeitos contaram à polícia que chamaram o carro de aplicativo para ir em uma festa. Segundo a Polícia Militar (PM), a vítima foi encontrada com ferimentos de faca pelo corpo e já sem vida no local.

O caso motivou um protesto dos motoristas de app no domingo (8) em Joinville, em uma carreata por bairros da cidade.

Leia também

Conselho dos Direitos da Mulher faz moção de alerta em Joinville; prefeitura inicia campanha

Mulher morta no velório do companheiro em Joinville fez postagem horas antes em rede social

Colunistas