nsc
hora_de_sc

Polícia

Motorista que atropelou e matou sambista em Florianópolis é solto sob fiança de R$ 3,3 mil

Condutor terá que cumprir medidas cautelares; Paulo Ricardo Patrício, 31 anos, morreu no local do acidente

16/07/2021 - 15h56 - Atualizada em: 16/07/2021 - 17h57

Compartilhe

Catarina
Por Catarina Duarte
Acidente aconteceu na noite de quinta-feira (15) em Florianópolis
Acidente aconteceu na noite de quinta-feira (15) em Florianópolis
(Foto: )

O motorista que atropelou e matou o sambista Paulo Ricardo Patrício, 31 anos, teve a liberdade provisória decretada. Ele deverá pagar R$ 3,3 mil de fiança. A decisão aconteceu após audiência de custódia nesta sexta-feira (16) à tarde. A moto em que Paulo estava foi atingida por um carro entre a Rodovia Admar Gonzaga e a Amaro Antônio Vieira no bairro Itacorubi, em Florianópolis, na noite de quinta-feira (15).

> Receba notícias de Florianópolis e região pelo WhatsApp

Identificado como Carlos Tadeu Tavares, pai do ex-lutador de UFC Thiago Tavares, o homem deve cumprir medidas cautelares. A defesa do motorista afirmou que aguarda a posição da acusação para se pronunciar. Para o advogado Rubens Cabral Faria Jr, trata-se de um homicídio culposo, quando não há intenção de matar.

O pedido de liberdade feito pelo representante do Ministério Público se baseou na não constatação de embriaguez, no fato do homem ser réu primário e ter endereço fixo.

Ele terá que cumprir um toque de recolher entre 22h e 6h nos dias de semana. Nos finais de semana, deverá se recolher em casa no sábado, a partir das 13h, podendo sair somente na segunda, a partir das 6h, pelo período de seis meses. O homem deverá se apresentar em juízo mensalmente.

Também foi imposta a proibição de se ausentar da comarca sem autorização do juízo, por mais de 15 dias, e a suspensão do direito de dirigir por seis meses. No caso de descumprimento de quaisquer das obrigações impostas, será decretada a prisão preventiva do condutor.

Vítima do acidente, Paulo Ricardo Patrício era diretor da bateria da escola de samba Embaixada Copa Lord, em Florianópolis. Ele fazia bico como motoboy. O corpo do sambista foi velado no cemitério do Itacorubi. O enterro estava marvado para a tarde desta sexta.

Figuras do samba da Capital lamentaram a morte do colega e pediram por justiça. A escola Copa Lord se manifestou desejando força à diretora de harmonia Fernanda Dutra, companheira de Paulo Ricardo. O casal estava junto há seis anos.

Sinais de embriaguez

Depois de colidir com a motocicleta de Paulo, o motorista bateu o carro em um muro. A vítima já estava sem vida quando o Corpo de Bombeiros chegou ao local. O homem foi preso em flagrante. 

A assessoria de comunicação da PMRv chegou a informar ao Hora de Santa Catarina na manhã desta sexta-feira que o motorista preso teria sinais de embriaguez e se recusou a fazer o teste do bafômetro. 

Contudo, o delegado e chefe da Central de Plantão de Polícia, Laurito Akira Sato, informou que foi lavrado por homicídio culposo e que a polícia não preencheu o auto de constatação de embriaguez. Por isso, o suspeito não foi encaminhado ao médico legista para constatação de um perito.

Perguntado sobre o não preenchimento do documento, o comandante da PMRv, Marcelo Egidio Costa, disse que a posição oficial do órgão é de que o homem não apresentava sinais de embriaguez. 

O coronel ainda explicou que caso o suspeito estivesse com sinais de embriaguez e o auto de contestação não fosse preenchido, isso consistiria em prevaricação, um crime contra a Administração Pública por praticar indevidamente um ato de ofício.

Leia também 

Como deputados e senadores de SC votaram na "turbinada do fundão"

Ar polar deverá trazer o frio mais forte de 2021 em SC

Luciano Hang trocou helicóptero por chocolate

Colunistas