nsc
santa

Pandemia

"Não estão sozinhos", diz fiel que rezou em frente a hospital de Blumenau

Grupo fez corrente de oração diante do Hospital Santo Antônio

11/03/2021 - 15h35

Compartilhe

Por Giulia Machado
Fiéis orando em frente ao hospital
Fiéis seguiram as exigências de distanciamento social e uso de máscara
(Foto: )

Um grupo de fiéis se reuniu para orar em frente a um hospital de Blumenau. A igreja promoveu o ato como forma de ajudar através da fé médicos e pacientes que enfrentam o coronavírus. A primeira ação ocorreu nessa segunda-feira (8), em frente ao Hospital Santo Antônio e durou cerca de 30 minutos. Novos atos estão previstos para as próximas semanas.

— Médicos e pacientes precisam saber que não estão sozinhos, que não estão abandonados — disse Rosane Fernandes, que faz parte do grupo.

> Receba notícias de Blumenau e do Vale por WhatsApp. Clique aqui e entre no grupo do Santa

Rosane frequenta a Igreja Verbo da Vida e comenta que a principal intenção do grupo é levar esperança.

— O mundo fala de pensamento positivo, a gente fala da palavra de Deus. Para nós a palavra de Deus é cura, é vida, ela salva, e é isso que fomos fazer ali. A gente crê que a nossa oração pode mudar essa atmosfera, essa situação, pode animar e dar esperança — afirmou.

Para que os atos sejam realizados é preciso autorização da unidade de saúde. Rosane conta que já pediu para repetir a roda de oração em outros hospitais do município. O idealizador do ato foi o pastor Beto Fernandes, marido de Rosane, que contou com o apoio da esposa e de outros fiéis voluntários. 

O filho do casal, de 46 anos, ficou internado em um hospital em Indaiatuba, em São Paulo, durante sete dias para tratar o coronavírus. Ele teve alta no último domingo (7), o que torna a ação ainda mais especial para o casal. 

Ajuda financeira

O grupo de oração em frente ao hospital não foi a única iniciativa da igreja para ajudar as pessoas durante a pandemia. Rosane conta que a instituição deu apoio financeiro aos participantes do grupo que passaram por dificuldades.

— Tivemos casos na nossa igreja de pessoas que ficaram desempregadas devido à pandemia. Começamos a ajudar com cesta básica, pagamentos de conta de energia e de água. Os membros foram cooperando, muitas vezes com alimentos, com remédios e também com dinheiro. O papel da igreja também é esse — afirma.

Situação dos hospitais em Blumenau

De acordo com o último boletim divulgado pela prefeitura de Blumenau, a taxa de ocupação dos leitos de UTI na cidade é de 97%. Alguns hospitais já alertam para fila de espera em UTI e possibilidade de ficar sem insumos. Há hospital que alega não ter condição de abrir mais leitos.

*Estagiária sob supervisão de Bianca Bertoli e Brenda Bittencourt

Colunistas