Todos os veículos que estavam visíveis e foram arrastados no deslizamento da BR-376, rodovia que liga SC ao PR, foram retirados pelas equipes que trabalham no local. No total, foram resgatados seis caminhões e três carros. A informação foi divulgada pelo governo parananense na manhã desta sexta-feira (2), que confirmou que o trabalho de remoção de terra permanece, assim como as busca por possíveis vítimas.

Continua depois da publicidade

Acesse para receber notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

Até o momento, conforme o último boletim divulgado, foram constatadas 14 pessoas envolvidas diretamente no incidente, com duas mortes já confirmadas e seis pessoas resgatadas com vida. As outras seis pessoas conseguiram escapar dos veículos sem precisar de atendimento.

Inicialmente, a estimativa de pessoas desaparecidas estava em 30, assim como havia a hipótese de haver mais veículos no local. No entanto, o governo afirmou que, “felizmente”, o prognóstico é menor.

A Polícia Científica segue fazendo busca ativa a partir das ligações recebidas, inclusive em hospitais e em parceria com autoridades de Santa Catarina. Algumas informações coletadas não estão relacionadas ao contexto do deslizamento. Outras, que estavam em passagem pela BR-376 no momento do incidente, foram localizadas e as famílias foram informadas, diz o governo paranaense.

Continua depois da publicidade

Equipes entram no quarto dia de trabalho

Este é o quarto dia que equipes do Corpo de Bombeiros e da concessionária Arteris Litoral Sul atuam no local. Desde o início das buscas, na noite de segunda-feira (28), um grupo especializado, composto por homens e cães, trabalham em conjunto com o efetivo e maquinário.

Sobrevivente de deslizamento na BR-376 grava vídeo em caminhão soterrado: “Tô vivo”

Na quinta-feira (1°), a massa terrosa que ocupava a pista norte, sentido ao PR, foi retirada e os trabalhos de desobstrução da pista sul, sentido SC, continuam intensos. Com a condição atmosférica permanecendo favorável, a expectativa é de que os trabalhos tenham evolução ainda melhor.

O governo alerta, no entanto, que a operação ainda é sensível e os riscos de novos deslizamentos continuam sendo monitorados. o Simepar, inclusive, tem monitorado constantemente as condições climáticas da região, informando com frequência a equipe de trabalho.

VÍDEO: Serra Dona Francisca é liberada, mas segue com filas e trânsito lento

A Defesa Civil Estadual também tem dado apoio às operações e atuam em apoio às demais famílias desabrigadas no Estado, transporte de mantimentos e insumos médicos. Já a PRF continua atuando na garantia da segurança das equipes, possibilitando a agilidade do serviço no local da ocorrência.

Continua depois da publicidade

Balanço dos trabalhos

Ainda naa manhã desta sexta-feira, houve uma nova reunião do gabinete de crise criado pelas autoridades paranaenses. Na ocasião, ficou definido que a Arteris vai informar as autoridades federais competentes sobre as condições de liberação de uma ou das duas pistas.

Segundo a concessionária, equipes da empresa que trabalham em outros trechos foram deslocadas para o local do deslizamento para correção de todos os pontos com problemas na pista de rolamento.

A Arteris ainda informou que foram identificados 14 pontos com pequenos e médios deslizamentos de terra em outros locais da BR-376. Geólogos da empresa já passaram nesses pontos e iniciaram os projetos de correção. A empresa fará patrulha diária.

Leia também

Quem são as vítimas da tragédia com deslizamento de terra na BR-376

Vídeos mostram BR-376 alagada horas antes de grave deslizamento entre SC e PR

“Estou sem comer desde ontem”: motoristas ficam parados após interdição na BR-376

Destaques do NSC Total