nsc
dc

Mapa de risco

Número de regiões em nível gravíssimo para o coronavírus cai de 16 para 12 em SC

Grande Florianópolis, Vale do Itajaí, Xanxerê e Oeste passaram para o nível grave, segundo mais alto na matriz

30/12/2020 - 09h36 - Atualizada em: 30/12/2020 - 10h34

Compartilhe

Catarina
Por Catarina Duarte
Grande Florianópolis saiu no nível gravíssimo na classificação do mapa de risco
Grande Florianópolis saiu no nível gravíssimo na classificação do mapa de risco
(Foto: )

Caiu de 16 para 12 o número de regiões classificadas no nível gravíssimo (cor vermelha) no mapa de risco para o novo coronavírus. A nova atualização divulgada nesta quarta-feira (30), mostra que Xanxerê, Oeste, Médio Vale do Itajaí e Grande Florianópolis passaram para o nível grave (cor laranja). 

Na última semana, pela primeira vez, todas as regiões estavam classificadas no nível gravíssimo, o que colocou Santa Catarina em alerta máximo para a transmissibilidade, ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e a falta de capacidade de monitoramento dos infectados. 

A divulgação do mapa acontece um dia após a Justiça derrubar a liminar que suspendia dois decretos estaduais Com a nova decisão, hotéis podem operar com 100% da capacidade, além da permissão para a realização de eventos sociais. 

De acordo com a epidemiologista Maria Cristina Willemann, membro do Centro de Operações de Emergência de Risco (Coes), a redução do número de casos foi o principal motivo para a melhoria do cenário.

— A maioria das regiões segue com uma ocupação de leitos maior que 80%, temos também um número alto de óbitos. Essa melhora na matriz se deve a redução do número de casos, mas é preciso estar atento aos dados, essa diminuição pode ser real ou ocasionada pelos feriados e uma diminuição no número de profissionais que reportam, ao sistema, os casos — afirma. 

Desde o dia 23 de dezembro, data de divulgação da última matriz, Santa Catarina registrou 13.736 novos casos e 276 mortes causadas pela covid-19.

Para a classificação, o mapa de risco considera o comportamento da pandemia, a transmissibilidade, monitoramento dos casos e a ocupação de leitos de UTI. É neste último o cenário mais grave. 

A atualização mostra que, das 16 regiões, apenas a Grande Florianópolis e o Médio Vale do Itajaí estão em nível grave, enquanto as demais seguem no gravíssimo. Dados divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), na terça-feira (29), mostram que a ocupação das UTI estava em 83,2% em Santa Catarina. 

Em relação ao monitoramento, o Médio Vale do Itajaí é a única região em nível alto (cor amarela) e Xanxerê aparece no nível gravíssimo. Quanto ao comportamento da pandemia, refletido nos óbitos e na taxa de contágio, a situação é mais preocupante no Planalto Norte, Alto Vale do Rio Peixe e Extremo Oeste. 

Leia também: 

​> Painel do coronavírus: confira em gráficos como foi o avanço da doença em SC

Colunistas