publicidade

Saúde
Navegue por

Saúde

O perigo do uso excessivo de eletrônicos por crianças

Especialistas apontam os prejuízos à saúde e a importância de impor limites

11/01/2019 - 14h55

Compartilhe

Redação
Por Redação Santa
(Foto: )

Por Maurício Cattani, NSC TV

Para a pequena Emily, diversão é navegar pelo celular. É quando a menina de cinco anos faz novas descobertas.

– Eu vejo vídeos de receitas, para depois cozinhar com o meu pai, porque a gente gosta muito – conta a pequena.

Só que de um tempo para cá, a rotina mudou. A mãe controla o tempo de exposição aos eletrônicos. O uso do celular estava interferindo no comportamento e no sono da filha.

– A noite ela era mais agitada, acontecia de acordar no meio da noite. Dependo do que via no celular, ficava muito assustada, então a gente decidiu colocar limite - explica Patrícia Sasse.

Agora Emily entendeu que precisa ter limites para não passar horas na frente da tela. Por isso, apesar de gostar muito de ficar conectada, está seguindo o que a mãe orientou. São apenas 20 minutos diários.

– Às vezes eles não deixam mexer no celular, porque eu fico o dia inteiro, de manhã até a tarde – confessa a pequena.

É que quando a noite chega o corpo começa a se preparar para dormir. Com pouca luz, com ambientes mais escuros, o organismo libera substâncias que relaxam. Mas aí, tem criança que insiste em ficar no celular e a luz intensa no rosto confunde o organismo.

– A luz das telas, como tablet e computador, envia mensagem para o cérebro dizendo que ainda não é hora de dormir e impede a produção da melatonina, que é o hormônio do sono – explica Ana Paula Franz, educadora do sono.

A especialista também alerta que ter o hábito de usar aparelhos tecnológicos, em excesso, deixa os pequenos mais agitados.

– A criança com certeza vai ter a qualidade e a quantidade diminuídas e isso no outro dia vai deixá-la irritada, impaciente devido ao cansaço da noite anterior - pontua Ana Paula.

Emily agora tem limite para o uso de celular
Emily agora tem limite para o uso de celular
(Foto: )

Já parou para pensar quantas horas você fica no celular por ano? Se você usa o aparelho 15 minutos de manhã, 15 no almoço e mais 15 à noite, já são quarenta e cinco minutos por dia. Sete dias por semana, resultam em 315 minutos. E no ano tudo isso representa 273 horas.

Ou seja, é como se por mais de onze dias seguidos, você usasse direto o celular, sem pausa. A Sociedade Brasileira do Sono recomenda que crianças de até sete anos de idade estejam dormindo até as 20h, para estarem bem no outro dia e evitar o desenvolvimento de doenças.

– Criança e adolescente deve ter um sono ininterrupto de oito ou nove horas. Isso é fundamental para o desenvolvimento do corpo como saúde global. E o distúrbio do sono leva a doenças sérias como hiperatividade, déficit de atenção, obesidade, depressão devido ao uso excessivo de aparelhos eletrônicos - argumenta Elizabete Ternes Pereira, pediatra.

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação