nsc
dc

Coronavírus

Com 97% de ocupação nas UTIs, hospitais do Oeste de SC estão à beira do colapso

Os leitos destinados aos pacientes com Covid-19 estão 100% ocupados em Chapecó, Xanxerê e Maravilha

02/02/2021 - 14h16 - Atualizada em: 02/02/2021 - 15h01

Compartilhe

Maria Eduarda
Por Maria Eduarda Dalponte
Santa Catarina tem 8 regiões em nível gravíssimo
Santa Catarina tem 8 regiões em nível gravíssimo
(Foto: )

A macrorregião Grande Oeste está com 97,79% dos leitos de UTI ocupados. Dos 136 leitos de Unidade de Terapia Intensiva ativos, distribuídos em quatro hospitais, apenas três estão disponíveis conforme o balanço desta segunda-feira (1º).

> Pane mecânica no Arcanjo 2 atrasa distribuição de vacinas AstraZeneca em Chapecó

> Vacina russa Sputnik V tem 91,6% de eficácia contra Covid-19, diz estudo

A região possui hospitais nas cidade de Chapecó, Xanxerê, Maravilha e São Miguel do Oeste. Até a publicação desta reportagem, o Hospital Regional do Oeste, em Chapecó, possuía uma vaga de UTI geral para crianças e o Hospital Terezinha Gaio Basco, de São Miguel do Oeste, dois leitos de UTI para adultos na ala de Covid-19.

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, o hospital de Chapecó recebeu equipamentos para a abertura de mais cinco leitos de UTI, que já deveriam estar ativos e a serviço da população da região. O secretário da Saúde da cidade, Luiz Carlos Balsan, afirmou que apesar de ter os materiais, Chapecó não tem profissionais capacitados para atuarem em novas UTIs de Covid-19.

Nesta terça-feira (02), uma comitiva de Chapecó irá a Florianópolis para uma audiência com o secretário da Saúde de Santa Catarina, André Motta Ribeiro, conversar sobre a contratação de profissionais da saúde para os novos leitos, além de outros assuntos da região.

> Butantan recebe no dia 3 insumos para mais 8,6 milhões de vacinas

Balsan afirma que um possível motivo para o aumento da ocupação das UTIs na região é o retorno das pessoas que se locomoveram para outras cidades nas férias de verão e agora retornam para o Oeste, alavancando a demanda de atendimento dos hospitais.

— Conversando com médicos e epidemiologistas da região, acreditamos que o retorno das férias pode ter alavancado a demanda por leitos de UTI. Mas a procura nos nossos ambulatórios está quase estável, o verdadeiro problema está no agravamento da doença. 

Caso o sistema de saúde do Oeste entre em colapso, as prefeituras irão procurar vagas em outras regiões do Estado, como o Meio-Oeste, que tem 36 vagas disponíveis, ou o Sul, com 75 leitos desocupados. Em último caso, Chapecó irá acionar a rede privada de saúde.

— Nós temos um contrato com a Unimed, que tem 11 vagas em UTIs. Em último caso, a gente vai recorrer à rede privada para ceder alguns desses leitos. Mas primeiro vamos recorrer ao sistema público em outras cidades de Santa Catarina.

> Vídeo: funcionária que não injetou vacina em idosa é afastada em Alagoas

No final de dezembro de 2020, Chapecó passou por uma situação parecida. Todos os 35 leitos de Covid-19 da rede pública estavam ocupados, além de 6 na rede privada. Outras 42 pessoas estavam internadas na enfermaria e 1.029 casos estavam ativos. Agora, de acordo com o boletim de segunda-feira (1º), a cidade está com todos os leitos de Covid da rede pública ocupados, quatro ocupados na rede privada, 41 pessoas na enfermaria e 688 casos ativos.

Chapecó quer comprar Sputinik V

Na segunda-feira (1º), o prefeito João Rogriques (PSD) oficializou o interesse em 20 mil doses da vacina russa Sputnik V, junto ao laboratório responsável pela distribuição no Brasil. O Ministério da Saúde ainda não autorizou a compra direta de imunizantes pelos municípios, mas a prefeitura de Chapecó se antecipou para aumentar a velocidade de vacinação.

> Suspeita de que agente público ‘furou fila’ da vacina no Oeste de SC é apurada pelo MP

Das 3.367 doses recebidas pelo município, 2.948 já foram aplicadas, segundo a prefeitura. Chapecó também adquiriu 3.000 testes de Covid-19 de antígeno, que permitem uma resposta em até 24 horas.

*Com supervisão de Lucas Paraizo

Leia também

Vaquinha arrecada R$ 200 mil a trigêmeos que perderam a mãe

Depois da presidência, Alesc define comissões e blocos

Cidades de SC recebem segunda dose da vacina Coronavac

Colunistas