nsc
an

Lotação

Pacientes com sintomas de gripe lotam pronto-atendimentos de Joinville pelo 3º dia seguido

Município também registrou alta de 89% em casos ativos de Covid-19; prefeitura reativa Gabinete de Crise como medida

05/01/2022 - 10h40 - Atualizada em: 05/01/2022 - 10h52

Compartilhe

Sabrina
Por Sabrina Quariniri
Movimento no PA Norte iniciou por volta das 4h desta quarta-feira
Movimento no PA Norte iniciou por volta das 4h desta quarta-feira
(Foto: )

Pelo terceiro dia seguido, pacientes com sintomas de gripe têm lotado os pronto-atendimentos de saúde de Joinville. Desde o início da madrugada desta quarta-feira (5), de acordo com o município, houve uma média de 300 atendimentos em cada UPA da cidade, com tempo de espera por paciente estimado em duas horas. 

> Acesse para receber notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

​De acordo com funcionários da unidade Norte ouvidos nesta manhã pela reportagem da NSC TV, o movimento iniciou no local por volta das 4h e seguia por toda a manhã. Entre segunda-feira (3) e terça-feira (4), cerca de 1.300 pessoas já haviam buscado atendimento com febre alta, tosse e suspeita de Covid-19. 

Na UPA da zona Sul, o movimento também segue intenso e filas foram registradas desde o início da noite. Uma mulher, que pediu para não se identificar, disse ter chego ao local às 10h30 e sido atendida apenas por volta das 15h de terça. Segundo ela, mesmo com sintomas de Covid, aguardava junto a outros pacientes para realizar o teste da doença. 

Já na zona Leste, não havia tanta fila no início da noite de terça-feira. Segundo moradores, a movimentação foi maior no período da tarde. Mas, mesmo assim, pessoas que buscaram a unidade chegaram a aguardar de 4 a 5 horas para o atendimento. A maioria dos pacientes também relatou à NSC TV ter buscado o local com sintomas gripais, virose e até suspeita de coronavírus. 

Aumento de mais de 70% no atendimento

Segundo dados da Secretaria da Saúde de Joinville, houve um crescimento superior a 70% na procura pelas UPAs, se considerado o mesmo período do mês de dezembro. Nos últimos dias, cerca de 4 mil pessoas buscaram por atendimento. 

Os demais pontos de saúde, como hospitais públicos e privados e Unidades Básicas de Saúde da Família, também registraram um aumento significativo na busca por assistência médica, principalmente para testagem de Covid-19. 

Mas, apesar disso, segundo o município, há testes disponíveis em todas as unidades de saúde. O que tem acontecido, eventualmente, são casos de pessoas que não possuem recomendação médica para realizar os testes e, por isso, saem da unidade sem fazer o exame. 

Também na cidade, um surto de gripe tem lotado a emergência dos hospitais Infantil Jeser Amarante e Bethesda. Em um comunicado nas redes sociais, o Bethesda destacou o fato como "situação crítica". 

Reativação do gabinete de crise e alta nos casos de Covid

Além da demanda por atendimento, o número de casos ativos da Covid-19 também avançou de forma expressiva. Segundo dados da secretaria de Saúde, no dia 4 de dezembro de 2021, 380 pessoas estavam com a doença em Joinville. Um mês depois, são 718 pessoas positivadas. Número representa um aumento de 89% dos casos. 

Neste cenário, a prefeitura de Joinville reativou o Gabinete de Crise para direcionar as ações de enfrentamento da pandemia de Covid-19 e, também, o atendimento aos casos de Influenza.

- Estamos verificando a melhor estratégia para reorganizar nossa rede de atendimento para que todos que precisam possam receber a assistência necessária, seja com vacinação, testagem ou acompanhamento -, afirma Rejane Gambin, prefeita em exercício.

Situação crítica em todo Estado

O ano começou com números altos de Covid-19 e longas filas de testagens na maioria das cidades de Santa Catarina. Nos dois últimos dias, o Estado registrou um aumento de 32,2% no número de casos ativos da doença, ao mesmo tempo que se depara com pronto-socorros lotados de pacientes.

De acordo com o Painel do Coronavírus, do NSC Total, em apenas um dia, o número de casos ativos foi de 4.692 para 6.203. Só Florianópolis concentra cerca de 24,45% das infecções, com 1.517 casos. A Capital, inclusive, registrou um crescimento de 42% em relação à última atualização, quando eram 1.062 casos.

Além disso, a cidade tem mais do que o dobro de casos de Joinville, que aparece como o segundo munícipio com o maior número de pacientes, com 656, e mais que o quadrúplo de São José, com 365, que é a terceira cidade com a maior quantidade de casos. Ao todo, 206 cidades têm pacientes em tratamento para o vírus.

De acordo com o secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeirro, o aumento já era esperado, principalmente após o ataque hacker que atingiu os sistemas de dados do Ministério da Saúde. Porém, ele não descarta um novo crescimento nas próximas semanas devido às festas de fim de ano.

Leia também

SC confirma 7 casos de Influenza H3N2 e divulga alerta aos municípios

Máscaras protegem contra epidemia de H3N2; entenda

Colunistas