nsc
santa

Prisão decretada

Pai é preso suspeito do assassinato da própria filha a facadas em Rodeio

Homem deve responder por feminicídio e tentativa de homicídio

13/04/2021 - 16h27 - Atualizada em: 14/04/2021 - 10h46

Compartilhe

Brenda
Por Brenda Bittencourt
Homem deve responder por feminicídio e tentativa de homicídio
Homem deve responder por feminicídio e tentativa de homicídio
(Foto: )

Um homem foi preso pela Polícia Civil nesta terça-feira (13) como suspeito do assassinato da própria filha a facadas em Rodeio, no Médio Vale do Itajaí. O juiz decretou a prisão preventiva por volta das 17h. O pai da vítima será encaminhado ao Presídio Regional de Blumenau.

> Receba todas as notícias do Vale do Itajaí no seu WhatsApp. Clique aqui.

Segundo a Polícia Civil, o homem é o principal suspeito do crime. Ele teria ido até a casa da avó da menina e esfaqueado também a ex-esposa, ex-sogro e ex-sogra na noite desta segunda-feira (12), mesmo dia em que teria assassinado a filha, Géssica Tizon, de 21 anos.

Segundo a polícia, após cometer os crimes, ele teria fugido para o mato ao lado da casa e tentou tirar a própria vida, mas foi encontrado e levado ao hospital onde ficou até a manhã desta terça-feira (13).

De acordo com o delegado responsável pelo caso Ronnie Estever, o homem deve responder por homicídio qualificado tentado de duas vítimas, feminicídio tentado de duas vítimas e feminicídio consumado de uma vítima.

> Géssica teria ido visitar a mãe após saber da separação dos pais; entenda.

Relembre o caso

Uma jovem de 21 anos, identificada como Géssica Tizon, foi morta pelo próprio pai na noite desta segunda-feira (12), em Rodeio, no Vale do Itajaí. O homem também feriu gravemente a ex-esposa, ex-cunhado e os ex-sogros, todos a facadas. Depois de cometer os crimes, ele teria tentado se matar, mas foi preso em flagrante e levado ao hospital.

Conforme a Polícia Militar, o homem de 42 anos fez alguns disparos com um rifle calibre 22, mas foi com a faca que feriu os familiares. A ex-companheira de 39 anos, os pais dela, de 56 e 61 anos e o irmão, 34, também foram atingidos.

Dos quatro sobreviventes, apenas um tinha ferimentos médios, os demais foram conduzidos com machucados considerados graves pelos bombeiros. Porém, a maioria estava consciente no momento do socorro.

Ainda não se sabe a motivação do ataque e o estado atual de saúde dos envolvidos.

Colunistas