nsc
santa

Litoral Norte

Pais de criança acidentada relatam "desamparo" do Beto Carrero e culpam atração por queda

Em nota, advogado diz que “rugido” assustou a criança que caiu no chão e bateu a cabeça

22/06/2021 - 08h59 - Atualizada em: 22/06/2021 - 15h21

Compartilhe

Bianca
Por Bianca Bertoli
Atração atrai visitantes interessados em uma foto com o "gorila"
Atração atrai visitantes interessados em uma foto com o "gorila"
(Foto: )

Os pais do menino de seis anos que se acidentou no Beto Carrero, em Penha, culpam o parque pelo acidente e reclamam da falta de assistência do local. O parque nega o desamparo, diz que prestou atendimento e cita que o ponto onde ocorreu o fato não é um brinquedo, e sim um local para fotos. O menino teve traumatismo craniano e está internado em Itajaí. 

> Receba notícias do Vale do Itajaí direto no Whatsapp.

A criança subiu no "gorila" para fazer uma foto na mão do animal, atração conhecida por simular que a pessoa teria sido capturada pelo bicho. Antes de chegar à mão, a estrutura teria feito um "rugido muito alto, assuntando-o e fazendo com que se desequilibrasse e caísse, batendo a cabeça no chão", conta o advogado da família, Eduardo Chede Junior, em nota.

De acordo com o advogado, a ambulância teria chegado 30 minutos depois do chamado dos pais. A vítima foi levada a uma unidade de saúde. A família é do Paraná e não possui conhecidos na região. 

Por isso, segundo a defesa, eles teriam tido dificuldades — inclusive financeiras — para se hospedar no Litoral Norte do Estado, enquanto a criança estava hospitalizada. Na nota, o advogado diz que “somente após a repercussão nas redes sociais, mais de 24 horas após o ocorrido, o parque voltou a fazer contato para verificar se os pais estavam precisando de algum apoio diante do estado grave da criança”.

Contraponto

A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa do Beto Carrero World na manhã desta terça-feira (22) para questionar sobre as alegações da família que constam na nota oficial do advogado. 

O Santa perguntou, também, se o parque tem uma equipe médica de plantão; se a atração será aberta ao público na próxima quinta-feira; se a atração passará por alguma adaptação; se realmente não havia placas que indicassem o ‘rugido’; se o parque adotaria alguma medida por conta do acidente. A informação repassada pela assessoria é de que o Beto Carrero “não entrará nesses detalhes”.

Na noite de domingo (20), o parque já havia se manifestado por nota em que disse que o menino "foi assistido pelo time de profissionais do Beto Carrero World! A equipe de bombeiros o conduziu com a ambulância do parque para o Pronto Atendimento mais próximo, ficando sob os cuidados médicos".

A assessoria também afirmou que "desde o início, o parque manteve contato e segue dando assistência à família que com tanto carinho se programou para essa viagem". 

O G1-SC perguntou, também, se a chuva poderia ter contribuído para a queda da criança; se o local possui ranhuras para evitar escorregamentos; se a atração emite som; se o socorro demorou 30 minutos para chegar; se existe alguma câmera de segurança que mostra o momento da queda; se a atração estava em uso; se a criança poderia estar lá; se a área estava isolada por conta da chuva; se o parque já sabe o que ocorreu; e qual foi a dinâmica do acidente. 

A assessoria respondeu que “não será entrado nesses detalhes”.

Criança segue internada

Na noite desta segunda-feira (21) o Hospital Pequeno Anjo, em Itajaí, onde o menino está internado, informou que o paciente está bem e estável. Ele apresentou melhora após uma cirurgia, mas apenas depois de acordar é que a equipe médica poderá avaliar se o pequeno ficará com alguma sequela. A sedação deve ser retirada nos próximos dias.

Colunistas