A onda de calor intensa na Índia, que levou os termômetros a registrarem 50°C, pode afetar a economia de Santa Catarina e deixar alguns alimentos mais caros, como pão e macarrão. Isso porque o país é o segundo maior produtor de trigo no mundo, atrás apenas da China, e decidiu bloquear as exportações do produto para controlar os preços no mercado interno.

Continua depois da publicidade

> Receba notícias do DC via Telegram

Apesar do Brasil não ser importador do trigo da Índia, o valor do produto no mercado internacional deve aumentar, depois que o país bloqueou as exportações no último sábado (14), já que a produção interna foi afetada com a seca. O efeito desse aumento atinge também Santa Catarina. 

A alta no preço do trigo já havia sido registrada em todo o mundo por conta da guerra entre Rússia e Ucrânia, explica o economista da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), Pablo Bittencourt.

— Nos últimos meses, o preço do trigo subiu muito no mercado internacional, por causa da guerra entre Rússia e Ucrânia, que são dois dos maiores produtores mundiais. E aí a produção brasileira foi direcionada às exportações. A gente exportou mais trigo no primeiro trimestre de 2022, do que em todo o ano de 2021 — explica.

Continua depois da publicidade

E o economista acrescenta:

— Imagina o impacto disso no segundo maior produtor mundial, que é a Índia. Vai cair a oferta mundial de trigo, deve haver escassez, e isso vai aumentar mais o preço.

Com isso, produtos à base de trigo, como as massas e pães serão diretamente afetados. Além disso, segundo o economista, a carne bovina também pode ter impacto, já que o produto é usado para alimentação do gado.

Mercado de trigo em SC e no Brasil

O Brasil produz cerca de 6 milhões de toneladas por ano, mas consome mais de 12 milhões de toneladas ao ano. Santa Catarina, neste ano, deve produzir cerca de 350 mil toneladas, destaca o vice-presidente da Faesc, Enori Barbieri. Ou seja, o país depende muito das importações.

O produto é importado principalmente da Argentina, já que o custo de transporte é menor, e, em menor quantidade de países como Paraguai, Uruguai e Estados Unidos.

Continua depois da publicidade

Com isso, os preços aplicados no mercado internacional impactam diretamente aqui, o que pode fazer a inflação disparar ainda mais nos próximos meses. Para o economista Pablo Bittencourt, o preço do trigo deve continuar alto, por causa da guerra entre Rússia e Ucrânia. O caso da Índia é mais um agravante.

Leia também

Inflação de abril sobe 0,97% em SC, puxada por transporte e alimentação

Gás de cozinha e cesta básica somam mais de 70% do salário mínimo em SC

Do carro à garrafa de água: como a alta da gasolina impacta no seu bolso

Destaques do NSC Total