nsc
an

Balé

Para coreógrafo russo, 'O Quebra Nozes' da Escola do Bolshoi fará história

Espetáculo estreará no dia 26 de novembro, às 20 horas, no Centreventos Cau Hansen

18/11/2014 - 16h44 - Atualizada em: 19/11/2014 - 06h29

Compartilhe

Por Redação NSC
Vasiliev com o bailarino e professor Maikon Golini em um dos ensaios
Vasiliev com o bailarino e professor Maikon Golini em um dos ensaios
(Foto: )

Se a superstição do russo Vladimir Vasiliev estiver afiada, o espetáculo O Quebra Nozes, estrelado integralmente pela primeira vez pela Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, de Joinville, terá toda a sorte ao seu favor. O clássico natalino é a terceira remontagem que ele assina para a instituição, depois de Giselle e Don Quixote. Coincidência ou não, o número três é, para ele, sinônimo de amuleto.

Vasiliev, considerado o bailarino do século 20 e uma das grandes estrelas do Teatro Bolshoi da Rússia, chegou a Joinville nesta segunda-feira para os últimos retoques antes da estreia, marcada para o dia 26, no Centreventos Cau Hansen. Orgulhoso do que viu nos ensaios, ele afirma não ter dúvidas de que o espetáculo entrará para a história.

- Ele (o espetáculo) é tão único como esta escola - frisou, em referência ao fato de a instituição ser a única filial da sede de Moscou.

Grande parte desta exclusividade está no visual da obra, inspirado em telas e desenhos sobre papel de autoria do próprio Vasiliev e que vão compor a história por meio de projeções criadas por Vigas, VJ joinvilense premiado internacionalmente. Vasiliev já pintou telas para os cenários de Giselle e Don Quixote, mas considera esta a primeira vez em que suas obras estarão vivas interagindo com o elenco.

Cada elemento cênico, cenário e figurino passou pela aprovação do coreógrafo a distância. Já a parte coreográfica foi repassada por ele ao elenco e aos professores em novembro de 2013, na última passagem do russo ao Brasil.

- Confio totalmente nos professores e tinha certeza de que ficaria bom.

Além do visual, Vasiliev também se preocupou em adaptar o enredo para o elenco formado por alunos da instituição e bailarinos da Cia. Jovem. Mesmo baseado na versão de Vasily Vainonen, O Quebra Nozes remontado pelo russo ganhou uma nova roupagem em praticamente todo o primeiro ato, incluindo a cena antológica onde há uma luta entre o príncipe e os vilões da história, momento em que o balé clássico dá lugar à dança contemporânea.

- Todos os momentos com os ratos são totalmente novos. A cena da batalha é a mais interessante desta obra. Pode ter certeza de que não será parecido com nenhuma outra versão - promete.

Balé preferido

O Quebra Nozes é considerado o balé preferido de Vladimir Vasiliev. O espetáculo o faz lembrar da época em que era estudante e o clássico fazia parte com frequência do repertório da escola. Vasiliev acredita já ter representado todos os papéis possíveis dentro da obra.

Por curiosidade, a primeira vez que interpretou o personagem Quebra Nozes transformado em príncipe foi ao lado da bailarina que mais tarde seria sua esposa, Ekaterina Maximova, em 1957. No ano seguinte, ele dançaria o clássico pelo Teatro Bolshoi, onde fez toda a sua carreira. Vasiliev também integrou o elenco da companhia na remontagem do balé estreada em 1966.

Colunistas