nsc

    Infraestrutura

    "Parece que foi 'enterrado um burro'", diz secretário sobre Anel Viário de Florianópolis

    Nova licitação está aberta após contrato rompido com empresa responsável pelas obras na região do Pantanal

    17/08/2020 - 12h31 - Atualizada em: 17/08/2020 - 12h55

    Compartilhe

    Leandro
    Por Leandro Lessa
    Obras de duplicação na Edu Vieira, em Florianópolis, estão paradas
    Obras de duplicação na Edu Vieira, em Florianópolis, estão paradas
    (Foto: )

    A secretaria de Infraestrura de Florianópolis abriu novo processo licitatório para as obras do Anel Viário. O desejo do município é anunciar a nova empresa no próximo mês. A duplicação da Rua Deputado Antônio Edu Vieira, no Pantanal, está parada. O trecho entre o trevo da Dona Benta até a Eletrosul tinha previsão de entrega em julho deste ano

    Segundo o secretário Valter Gallina, a empreiteira que era responsável pelo serviço - ela também estava com a revitalização da Avenida Ivo Silveira, na parte continental - entrou em dificuldades financeiras e, desta forma, houve o rompimento do contrato. 

    No caso do Anel Viário, o sistema binário só será acionado após a conclusão das obras, remarcada para fim de março de 2021. 

    - Parece que foi "enterrado um burro" ali. Uma empresa do Rio de Janeiro ganhou essa obra (Anel Viário no entorno da UFSC) e iniciou a todo vapor. Mas ela entrou em colapso financeiro. Assinamos o cancelamento do contrato e já lançamos as licitações de ambas (também a da Avenida Ivo Silveira) - declarou Gallina, em entrevista à CBN Diário

    Sobre o complexo de passarelas do CIC, com obras começaram nesta segunda-feira (17), o prazo de entrega é de três meses, mas a intenção é finalizar a reforma de toda a estrutura até o início de novembro, em 75 dias. Como serão retiradas placas de concreto do piso, haverá interrupções de trânsito na região devido ao risco de queda. 

    Em janeiro, uma das rampas de acesso à passarela sobre a Avenida da Saudade foi fechada pela Defesa Civil municipal. Após os problemas constatados, como corrosão, a interdição completa ocorreu em março, após recomendação do Ministério Público de SC. Desde então, pedestres e ciclistas não tem como usar a passarela para evitarem cruzar a via entre os automóveis. 

    Outras obras semelhantes já tiveram as ordens de serviço entregues na última sexta-feira. São elas a estrutura sobre o canal da Barra da Lagoa, em substituição à ponte entreliçada, e a passarela da Avenida Paulo Fontes, em frente à Rodoviária Rita Maria. A expectativa é de que esses trabalhos comecem nos próximos dias.  

    Ouça a entrevista completa com o secretário Valter Gallina:

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas