A farmacêutica e bioquímica Daniele Stuart, do Paraná, afirmou, nessa terça-feira (11), que o curso de peeling de fenol ministrado à influencer Natalia Fabiana de Freitas Antonio, conhecida como Natalia Becker, só foi concluído no último sábado (8) — ou seja, cinco dias após a morte do empresário Henrique da Silva Chagas, de 27 anos, que se submeteu ao procedimento na clínica de Natália, na zona sul de São Paulo.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

À polícia, Natalia Becker disse que realizou o curso on-line em junho do ano passado e só começou a fazer as aplicações em dezembro. Após a manifestação da farmacêutica, a influencer informou que apenas a emissão do certificado ocorreu este mês. Tanto Natalia quanto Daniele apresentaram documentos que endossam suas versões.

A defesa de Daniele Stuart disse que o curso on-line é conceitual, “não especializante”, e tem duração de seis horas. A farmacêutica afirmou, ainda, que Natalia Becker cometeu falhas graves no procedimento. Uma delas seria a aplicação de um químico em uma pele que não era “íntegra” — ou seja, sem lesões, o que não seria o caso de Henrique Chagas.

Leia mais no Metrópoles, parceiro do NSC Total

Continua depois da publicidade

Leia também

Morte por “peeling de fenol”: Influencer abandona entrevista após pergunta sobre formação

“Arregalou o olho”: o que diz namorado de paciente que morreu após peeling de fenol

Destaques do NSC Total