nsc
    dc

    Coronavírus

    Quase 90% das empresas de SC já retomaram atividades, diz pesquisa sobre impactos do coronavírus

    Levantamento divulgado nesta quarta por federações empresariais aponta para retomada econômica, apesar de perda estimada em R$ 36,7 bilhões no setor produtivo

    29/07/2020 - 10h48 - Atualizada em: 29/07/2020 - 10h52

    Compartilhe

    Por Guilherme Simon
    Comércio em Florianópolis
    Conforme pesquisa, 25% das empresas estão com o funcionamento normalizado, 40,5% se readaptaram e 21,8% estão com produção reduzida
    (Foto: )

    Levantamento sobre os impactos da pandemia de coronavírus na economia de Santa Catarina divulgado nesta quarta-feira (29) por federações empresariais aponta que quase 90% das empresas já retornaram às atividades no Estado. Em 25% delas, o funcionamento está normalizado.

    > Após perder 107 mil empregos formais na pandemia, SC volta a ter saldo positivo de vagas em junho

    Apesar da sinalização de retomada econômica, o levantamento também mostra que a estimativa de perda de faturamento durante o período totaliza R$ 36,7 bilhões, o que representa 8,4% do PIB estadual. Na análise anterior, a estimativa era de perda de R$ 19,6 bilhões até o final de abril.

    A redução de faturamento apontada pela pesquisa divulgada nesta quarta é de R$ 15,3 bi no comércio, R$ 12,8 bi nos serviços e R$ 8,6 bi na indústria.

    Os números constam na quarta edição de pesquisa sobre os impactos do coronavírus realizada pelas federações empresariais da Indústria (Fiesc), do Comércio, Serviços e Turismo (Fecomércio-SC) e pelo Serviço de Apoio Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Santa Catarina (Sebrae/SC).

    Segundo o levantamento, 87,5% das empresas já retomaram às atividades durante a pandemia, com adaptações. Ele também aponta que o impacto da crise sanitária ocorre de maneira desigual entre as empresas, e que os micro e pequenos negócios apresentam maiores dificuldades.

    Ainda conforme a pesquisa, 25% das empresas estão com o funcionamento normalizado, 40,5% se readaptaram e 21,8% estão com produção reduzida. No outro lado, 11% estão fechadas temporariamente e 1,5% fecharam as portas definitivamente.

    > Número de mortes por coronavírus em SC pode triplicar em 1 mês, diz secretário de Saúde

    A pesquisa demonstra ainda um movimento de recuperação do emprego, em consonância com os dados divulgados esta semana pelo Ministério da Economia. Na primeira edição, 76,8% das empresas mostraram ter reduzido a quantidade de trabalhadores contratados. Na atual, o índice caiu praticamente pela metade: agora são 36,9%. Em 10,1% das empresas, o quadro de funcionários está sendo ampliado.

    O levantamento foi feito entre os dias 6 e 12 de julho em 148 municípios catarinenses, com 1,6 mil entrevistas realizadas. A margem de erro da pesquisa geral é de 2,9%.

    Setor tem reagido melhor do que o esperado, diz presidente da Fiesc

    Em coletiva nesta quarta, o presidente da Fiesc, Mario Cezar de Aguiar, disse que os números apontam para uma “recuperação da economia”.

    — Os dados têm mostrado que setor produtivo catarinense tem reagido de uma forma melhor do que era previsto nos primeiros dias de março, quando o decreto 515 praticamente paralisou a economia — afirmou.

    > "Aumento real de salários em 2020 é utopia", diz economista do Dieese de SC

    O levantamento também aponta que 18,9% da empresas estão em busca de crédito para novos investimentos e projetos. Para o presidente da Fiesc, o dado mostra disposição de investir por parte dos empresários, o que, segundo ele, é um dos aspectos mais importantes para que a retomada do crescimento seja sustentável.

    A pesquisa também revela que 45,1% das empresas consultadas disseram ter procurado financiamento, mas apenas 16,6% conseguiram crédito. Segundo o levantamento, 36% das empresas consultadas afirmam que as falências poderiam ter sido evitadas caso houvesse acesso a linhas de financiamento.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Economia

    Colunistas