Dois estudos conduzidos pelo Grupo de Pesquisa de Neurociências Aplicadas, da UniSociesc de Jaraguá do Sul, vêm demonstrando resultados animadores do uso da tecnologia na reabilitação de doenças neurológicas. Os projetos utilizam um exoesqueleto e realidade virtual para tratar pacientes com Parkinson e que sofreram Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Continua depois da publicidade

Quer receber notícias de Joinville e Norte de SC por WhatsApp? Clique aqui

Os dois projetos de pesquisas são realizados pelo curso de Fisioterapia em parceria com a startup Neurobot e com a Clínica de Fisioterapia Neurofuncional, Espaço Tandem, na cidade de Jaraguá do Sul.

Em entrevista à CBN Joinville nesta sexta-feira (30), o professor, doutor em Neurociências e coordenador da área de Neurociência, Tiago Souza dos Santos relatou que até o momento, pacientes com Parkinson e com AVC tratados com as terapias previstas nos estudos, vêm apresentando resultados realmente animadores.

– No Parkinson, notamos melhora na caminhada, confiança em fazer coisas sozinhos, diminuição no tremor e melhora em geral. No AVC, sentimos as melhoras na rigidez, coisas simples como usar garfo e faca ou pentear o cabelo – destacou.

Continua depois da publicidade

O equipamento, quando colocado no paciente durante as sessões de tratamento, conecta o cérebro à máquina, numa tentativa de restaurar ou melhorar a funcionalidade motora do braço e da mão afetados pelo derrame.

O Exobots estimula a neuroplasticidade com o auxílio de um exoesqueleto controlado pelo cérebro para criação de novas conexões de neurônios capazes de ajudar a recuperar o movimento perdido do membro superior. Os resultados da abordagem, reforça Tiago, devem ser vistos como um gatilho para que o paciente aproveite o ganho de movimento e tente incorporar cada vez mais o membro afetado nas atividades diárias.

Pessoas que sofreram AVC podem ser voluntárias na pesquisa

Para reforçar as evidências e avançar com os estudos da reabilitação do AVC, o professor explica que será necessário completar três grupos de estudo, com no mínimo 15 voluntários em cada grupo, para que os resultados de cada grupo possam ser comparados.

O tratamento é gratuito e quem estiver interessado pode entrar em contato com a clínica integrada da UniSociesc de Jaraguá do Sul, pelo WhatsApp (47) 99258-0030, entre 8h às 21h30, de segunda a sexta-feira.

Continua depois da publicidade

Ouça a entrevista completa:

*Com informações da assessoria.

Destaques do NSC Total