nsc
hora_de_sc

Investigação

Polícia analisa imagens de comércios e ônibus na busca por idoso em Florianópolis

Buscas já foram feitas com cães farejadores, mas nada foi encontrado na região do Campeche, Norte da Ilha

11/06/2019 - 11h18

Compartilhe

Por Dayane Bazzo
Foto mais recente de seu Amaral divulgada pela família
(Foto: )

A Polícia Civil de Florianópolis analisa imagens de câmeras de monitoramento de ônibus do transporte coletivo e comércios do bairro Campeche, onde o idoso Antônio José da Luz Amaral Filho, de 83 anos, foi visto pela última vez no dia 1° de junho.

Na sexta-feira (7) o cão Hunter e o cabo Ronaldo Fumagalli, do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina, vieram a Florianópolis para reforçar as buscas. Durante todo o dia foram percorridos quase 10 quilômetros na região das dunas e vegetação da Praia do Campeche, no Leste da Ilha, porém nada foi encontrado. Com isso, a hipótese de o idoso ter ido para o mar diminuiu e aumentaram as chances dele estar vivo.

— Nada foi encontrado, o cachorro não sentiu o cheiro dele, por isso acreditamos que ele esteja vivo. A hipótese dele ter ido para o mar é muito difícil, ainda mais porque ele já tem uma certa idade e anda com um pouco de dificuldade, segundo a família. Para ir à praia teria que caminhar uns 300 metros em dunas. Também conversamos com pessoas da região e pescadores e ninguém viu nada — informa o delegado Wanderley Redondo, da Delegacia Especializada em Pessoas Desaparecidas, responsável pela investigação.

Agora a polícia foca na análise das imagens de segurança de comércios locais e dos ônibus do transporte público. Segundo Wanderley, seu Amaral teria saído para dar uma volta na manhã de sábado, algo que não era comum, de acordo com a família. A intenção da polícia é levantar informações para ver se ele conversou com alguém no trajeto durante a manhã e se entrou em algum veículo, seja carro ou ônibus, à tarde.

A equipe de investigação também fez buscas em locais onde o idoso costumava frequentar, como um estabelecimento na Lagoa da Conceição.

— Ainda estamos verificando todas as hipóteses, não podemos ainda tecer alguma coisa a respeito — diz o delegado.

Seu Amaral está sendo procurado desde o dia 1° de junho, quando saiu para caminhar. Ele foi visto pela última vez próximo a um restaurante da Avenida Campeche. Seu Antonio é morador do bairro Agronômica, na região central de Florianópolis, e vestia calça social cinza escuro, jaqueta cinza claro, camiseta social azul e sapato marrom quando desapareceu.

Quem tiver informações sobre seu Amaral deve avisar a polícia. O telefone da Polícia Militar é o 190, Delegacia de Desaparecidos é o 181 ou (48) 3665-5595.

Colunistas