nsc
santa

AGLOMERAÇÃO

Polícia dispersa torcedores do Marcílio Dias antes de jogo e ação causa polêmica em Itajaí

Grupo de apoiadores foi receber o ônibus do clube do lado de fora do estádio antes da partida contra o Altos, pela Série D, mas policiais interromperam movimentação

03/01/2021 - 18h27 - Atualizada em: 04/01/2021 - 06h34

Compartilhe

Jean
Por Jean Laurindo
Vídeo mostra ação da PM junto a torcedores do lado de fora do Estádio Dr. Hercílio Luz
Vídeo mostra ação da PM junto a torcedores do lado de fora do Estádio Dr. Hercílio Luz
(Foto: )

A Polícia Militar dispersou um grupo de torcedores do Marcílio Dias que se reuniu para receber o time antes da partida deste domingo (3) contra o Altos, do Piauí, pela Série D do Campeonato Brasileiro.

> Santa Catarina ultrapassa Bahia e se torna o 3º Estado com mais casos de covid-19

A ação causou polêmica e foi criticada por torcedores que estavam no local. Vídeos que circulam nas redes sociais mostram policiais detendo uma pessoa e disparando um jato de gás lacrimogênio contra outro torcedor, conduta criticada por torcedores que estavam no local.

A presença de público nos jogos de futebol está proibida pela pandemia do novo coronavírus, que também exige que a população evite aglomerações. No entanto, torcedores se reuniram do lado de fora do Estádio Dr. Hercílio Luz, em Itajaí, para receber o ônibus do clube e apoiar os jogadores.

A ação dos policiais gerou revolta por parte dos torcedores, que questionaram por que os policiais não estariam atuando da mesma forma nas praias para evitar festas e aglomerações. Algumas pessoas chegaram a entoar gritos de “Vergonha” e “vai pra praia” aos policiais que atuavam no local. Uma mulher que filmava a ação dos policiais também teve o celular apreendido.

> Brusque diz que jogador foi chamado de "macaco" por dirigente do Vila Nova

A Polícia Militar emitiu nota no final da tarde em que afirma que os policiais foram chamados ao local para a abordagem de um homem que estaria disparando fogos de artifício em via pública. Ele teria se recusado a entregar as duas caixas de foguetes que estavam com eles e teria desacatado os policiais, segundo a versão da PM.

> Festas encheram casas noturnas na virada do ano em Santa Catarina

Uso de spray ocorreu para dispersar multidão, diz PM

O texto da PM justifica o uso de spray de pimenta para “dispersar a multidão” que teria se formado por outros torcedores. Já a apreensão do celular, segundo a PM, foi para utilizar o aparelho no inquérito com imagens da ocorrência. Foram apreendidos 10 fogos de artifícios, três deles intactos e os outros, deflagrados.

A PM não comentou críticas dos torcedores sobre a ação dos policiais, e disse não ter recebido relato de nenhuma pessoa ferida ou conduzida para atendimento médico após o caso.

A assessoria de imprensa do Marcílio Dias divulgou uma nota sobre o caso na noite deste domingo. A manifestação se queixa de uma suposta "perseguição" aos torcedores do Marcílio Dias, diz que a recepção que seria feita pelos torcedores teria sido aprovada pelo órgão municipal de trânsito (Codetran) e lembra outra situação em que episódio semelhante teria ocorrido, no final de 2020.

No texto, a presidência do clube diz que recepções de outros clubes são tratadas de forma diferente, citando o caso de uma ação de torcedores no clássico recente entre Avaí e Figueirense. A nota define a ação dos policiais como uma "ação desproporcional da Polícia Militar, que mais uma vez utilizou da força, violência e de gás de pimenta a esmo para dispersar, sem motivos, as pessoas que ali estavam de forma totalmente pacífica. Inclusive atingindo crianças que se encontravam ao entorno do estádio, sendo que duas delas foram prontamente atendidas dentro do estádio, pelo staff do Clube", conforme um texto da nota.

Em campo, Marcílio Dias e Altos empataram em 1 a 1. As duas equipes se enfrentam novamente no próximo final de semana, no Piauí, para decidir quem fica com a vaga na Série C do Campeonato Brasileiro de 2021.

> Renato Igor: Brasil sente a falta de líderes positivos

Colunistas