nsc
    dc

    Lagoa da Conceição

    Polícia identifica homem que roubou e agrediu turista inglesa em Florianópolis

    Suspeito, que não é natural de Santa Catarina, foi reconhecido pela vítima e está foragido

    28/02/2020 - 16h39 - Atualizada em: 29/02/2020 - 09h43

    Compartilhe

    Clarissa
    Por Clarissa Battistella
    Crime ocorreu nas dunas da Lagoa da Conceição
    Crime ocorreu nas dunas da Lagoa da Conceição
    (Foto: )

    A Polícia Civil identificou o suspeito de roubar e agredir uma turista inglesa de 21 anos, nas dunas da Lagoa da Conceição, em Florianópolis. A vítima foi encontrada pela polícia no dia 12 de fevereiro com sinais de violência e hospitalizada. O autor do crime é natural de outro estado, informou a Polícia Civil, mas na época dos fatos residia na Ilha de SC. Ele foi reconhecido pela vítima através de foto.

    Considerado foragido há uma semana, desde que a Justiça decretou a prisão preventiva, o suspeito é procurado pela equipe da Delegacia de Repressão Roubos da Capital. Como é natural de outro estado brasileiro - a polícia não informou qual - a hipótese trabalhada pela investigação é de que ele tenha saído do território catarinense.

    Segundo a delegada Ana Claudia Pires, o suspeito tem uma passagem pela polícia por um crime semelhante, porém registrado no Rio Grande do Sul, onde teria roubado uma mulher e agredido uma segunda mulher, que tentou intervir na ação, com uma pedrada.

    A vítima inglese, de 21 anos, não foi identificada. Ela é natural de Londres, na Inglaterra e ficou internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Governador Celso Ramos por cinco dias, ao menos. Há aproximadamente 10 dias recebeu alta médica, mas permanece em Santa Catarina, conforme orientação médica.

    Leia também: PM dá dicas de segurança para turistas que não conhecem os bairros de Florianópolis

    A identificação

    Foi com base nas características descritas pela vítima, sobre o autor, que a Polícia Civil identificou o suspeito. A delegada Ana Claudia Pires caracterizou as diligências como um trabalho "totalmente braçal", já que os investigadores precisaram buscar nos arquivos policiais todas as pessoas com as mesmas semelhanças:

    — Um homem com pele que parecia queimada, que tinha rotina de ficar no sol e aparentemente sem residência fixa, até as roupas que usava. Buscamos todas as pessoas que as características batiam e a vítima reconheceu. Pedimos a prisão dele e a Justiça atendeu prontamente. Agora estamos na busca pelo suspeito.

    Imagens nas imediações não foram encontradas. A polícia descobriu que o suspeito residia em Florianópolis na ocasião, mas após o fato, não foi mais visto na cidade.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Polícia

    Colunistas