Cenário de filme de terror. É assim que moradores descrevem o momento em que o rio invadiu as ruas de Praia Grande, no Sul de Santa Catarina, na noite desta quinta-feira (15) durante a passagem de um ciclone que causou fortes chuvas na região. O fenômeno causou estragos e deixou pessoas desabrigadas, o que fez a cidade decretar situação de emergência nesta sexta-feira (16).

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

Entre os atingidos está Morgana Cristina Alves. Ela conta que tinha acabado de chegar em casa, por volta das 19h30min, quando ouviu um barulho “assustador”, seguido de inúmeras ligações de vizinhos.

— Não tinha noção do que estava acontecendo e, quando nos deparamos, estávamos com o rio na nossa janela. Ele estava, literalmente, passando na nossa janela — explica a analista de crédito.

Ciclone provoca mais do que o dobro de chuva prevista para junho no litoral de SC

Continua depois da publicidade

Ela, que tem um bebê de 11 meses, conta que apenas conseguiu sair de casa após receber ajuda de um caminhão da cooperativa de energia:

— Foi um cenário de filme de terror. Tinha que sair de casa sem saber se a gente ia voltar ou se ia ter alguma coisa.

Morador da região central, Dioni Procópio relatou, ao NSC Total, que a casa do pai foi a única da Rua Valdomiro Pereira Pinto que não foi invadida pela água, por estar em um ponto mais alto. A residência serviu para acolher cerca de 40 vizinhos que não tiveram a mesma sorte e tiveram de deixar suas casas.

De acordo com a prefeitura, a chuva começou por volta das 19h e afetou diversas localidades. Além disso, o centro da cidade foi impactado por alagamentos. A estimativa é de que 60% do município tenha sido afetado.

Continua depois da publicidade

— No momento mais crítico, acreditamos que mais de 60% do município virou corredeiras de rio, literalmente. Todos os nossos rios estouraram — pontuou o prefeito Elisandro Pereira Machado.

Equipes da Defesa Civil e os bombeiros atuaram nas ruas para atender as famílias desabrigadas. Ao menos 70 pessoas foram levadas a um abrigo, montado no ginásio municipal, após terem que deixar suas casas por conta da chuva que alagou diversas ruas. Na manhã desta sexta-feira, 60 ainda permaneciam no local.

O fenômeno também causou o rompimento de encanamentos e adutoras. Por conta disso, o abastecimento de água na região está suspenso. De acordo com a Samae, responsável pelo serviço no município, equipes trabalham para recuperação do fornecimento, mas ainda não há previsão para o restabelecimento do serviço. As pontes do Alvorada e do Corujão também foram danificadas.

Também ocorreu o cancelamento das aulas até a próxima terça-feira (19) com o objetivo de garantir a segurança e o bem-estar dos alunos.

Continua depois da publicidade

Nesta manhã, uma reunião foi realizada pela prefeitura afim de definir os próximos passos para o atendimento das famílias. Além disso, a prefeitura deve assinar ainda nesta sexta o decreto que define situação de emergência na cidade por conta das chuvas.

— Nesse momento a principal preocupação é atender as famílias. Estamos vendo quais as necessidades e vamos dar todos os auxílios possíveis — diz o prefeito.

Para esta sexta-feira, ainda há previsão de chuva para Praia Grande, com ventos que podem chegar a 70 km/h. Já no sábado, o céu deve voltar a aparecer, enquanto o clima segue frio com máxima de 16ºC.

*Com informações de Dayvid Morona, da NSC TV

Confira as imagens da chuva:

asas estão tomadas de água e lama
Casas estão tomadas de água e lama – (Foto: Dioni Procópio/Arquivo pessoal)
Ruas viraram rios em Praia Grande (Foto: PMPG/Divulgação)
Chuva causou estragos em várias cidades
Chuva causou estragos em várias cidades – (Foto: Dayvid Morona/NSC TV)

Leia também:

Aulas canceladas e ruas alagadas: os impactos do ciclone em Florianópolis

Continua depois da publicidade

Frio e chuva em SC: veja a quem pedir ajuda em casos de alagamento e hipotermia

Destaques do NSC Total