nsc

    Preço abusivo

    Procon de Florianópolis fecha dois postos de combustíveis: "Lucro ampliado em 50%"

    Fiscalização dos valores praticados pelos estabelecimentos na Capital ocorre há uma semana

    14/04/2020 - 16h32

    Compartilhe

    Kadu
    Por Kadu Reis
    Bomba de combustíveis é interditada pelo Procon em Florianópolis
    Bomba de combustíveis é interditada pelo Procon em Florianópolis
    (Foto: )

    Em uma semana de fiscalização, o Procon de Florianópolis fechou dois postos de combustíveis na cidade pela prática de preços abusivos. A instituição vinculada à prefeitura da Capital verificou que não houve repasse das reduções de preço que vêm da Petrobras. Apesar de não ocorrer o aumento do valor na bomba, o lucro foi ampliado pelos comerciantes.

    — No caso de hoje averiguamos que havia lucro maior de 50% em relação ao que praticava um mês atrás. Ele tinha lucro do que ele vendia e com a diminuição do petróleo, não repassou e ampliou o lucro em 50%. Estamos atentos e pensamos que um valor razoável seja de 20%. Não podemos compactuar com Florianópolis ter a gasolina mais cara de Santa Catarina — afirma Rodrigo César Cássio, gerente de fiscalização.

    Ouça a entrevista com o gerente de fiscalização do Procon de Florianópolis:

    Estimulada pelo prefeito Gean Loureiro, a fiscalização nos postos de combustíveis em Florianópolis visa garantir o repasse nas reduções para o consumidores. A Petrobras anunciou um novo corte no preço que passa a valer nesta quarta-feira. Durante as abordagens, os comerciantes precisam comprovar os valores de cada remessa.

    — Nós relutamos pelos fechamentos, porque somos preocupados com o consumidores e também com o empresário, mas encontramos aumento abusivo nos postos de combustível. Não houve aumento na bomba, mas aumentaram o lucro com a queda no valor do petróleo. Cabe a cada posto apresentar defesa para que seja feita a análise jurídica — pontua Rodrigo César Cássio.

    A redução no valor da gasolina chega a 50% no Brasil desde janeiro. Em Florianópolis, os valores mais baixos se aproximam dos R$ 3,85. As denúncias ao Procon da Capital podem ser feitas por ligação telefônica ao número (48) 3131-5300 ou por mensagem de e-mail para fiscalização.procon@pmf.sc.gov.br.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Economia

    Colunistas