nsc
dc

Música

Quais as prefeituras na mira do MP por cachês milionários pagos a sertanejos

Investigações começaram após crítica de Zé Neto à tatuagem no 'tororó' de Anitta e à Rouanet

04/06/2022 - 12h14 - Atualizada em: 04/06/2022 - 12h23

Compartilhe

Redação
Por Redação DC
Contratos firmados com Gusttavo Lima, Wesley Safadão e Zé Neto & Cristiano são alguns dos apurados
Contratos firmados com Gusttavo Lima, Wesley Safadão e Zé Neto & Cristiano são alguns dos apurados
(Foto: )

A polêmica iniciada pelo cantor Zé Neto ao criticar Anitta e a Lei Rouanet desencadeou ações do Ministério Público em diferentes regiões do Brasil. Em ao menos seis estado do país o órgão abriu processos para apurar shows pagos com dinheiro público por prefeituras. Conforme um levantamento do g1, 29 eventos são alvo do pente-fino. 

> Receba notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

As apresentações no centro das apurações do Ministério Público envolvem shows de artistas como Gusttavo Lima, Wesley Safadão, Xand Avião, Bruno e Marrone e o próprio Zé Neto. Alguns desses eventos chegaram, inclusive, a ser cancelados após a polêmica criada pelo cantor sertanejo. 

Todo o caso começou quando um vídeo de Zé Neto repercutiu na internet. Na gravação ele fala não precisar de dinheiro do governo e nem fazer tatuagem nas partes íntimas para ter sucesso — uma alusão à cantora Anitta que tatuou uma parte mais ousada do corpo

— Estamos aqui em Sorriso, Mato Grosso, um dos estados que sustentou o Brasil durante a pandemia. Nós somos a equipe que não depende de Lei Rouanet. Nosso cachê quem paga é o povo. A gente não precisa fazer tatuagem no t*** para mostrar se a gente está bem ou mal. A gente simplesmente vem aqui e canta, e o Brasil inteiro canta com a gente — disse o cantor. 

Gusttavo Lima, que aparece na lista de eventos investigados pelo Ministério Público, chegou a chorar em uma transmissão ao vivo nas redes sociais alegando não haver nenhuma irregularidade nos contratos firmados entre ele e prefeituras para shows. Disse ainda que está prestes "a jogar a toalha". ​

Confira lista de eventos questionados pelos MPs dos estados

  • São Luiz (RR) - Vaquejada com Gusttavo Lima com cachê de R$ 800 mil e outros shows - O Ministério Público de Roraima investiga. 
  • Magé (RJ) - Aniversário da cidade com Gusttavo Lima com cachê de R$ 1 milhão e outros shows - O Ministério Público do Rio de Janeiro investiga. 
  • Teolândia (BA) - Festa da Banana com Gusttavo Lima com cachê de R$ 700 mil e outros shows - A Justiça atendeu ao pedido do Ministério Público da Bahia e cancelou o evento. 
  • Mossoró (RN) - Festa Junina com Wesley Safadão com cachê de R$ 600 mil e Xand Avião com cachê de R$ 400 mil e outros shows - O Ministério Público do Rio Grande do Norte entrou com uma ação civil pública para que a Justiça cancele os dois shows. 
  • Conceição do Mato Dentro (MG) - Festa com Gusttavo Lima com cachê de 1,2 milhão e Bruno & Marrone com cachê de R$ 520 mil e outros shows - O Ministério Público de Minas Gerais estava apurando quando o prefeito cancelou os dois shows. 
  • Mato Grosso - 24 cidades: Gaúcha do Norte, Porto Alegre do Norte, Figueirópolis D’Oeste, Sorriso, Nortelândia, Salto do Céu, Alto Taquari, Novo São Joaquim, Nova Mutum, Sapezal, Canarana, Acorizal, Brasnorte, Água Boa, São José do Xingu, Vera, Barra do Garças, Juína, Querência, Bom Jesus do Araguaia, Santa Carmem, Matupá, Nova Canaã do Norte e Novo Horizonte do Norte - O Ministério Público de Mato Grosso abriu uma investigação sobre todos os shows destes municípios, sem especificar os artistas. A lista inclui Sorriso, cidade onde Zé Neto detonou a polêmica com um discurso contra Anitta e Rouanet, ganhando cachê de R$ 400 mil. 

Colunistas