Kawara Welch, de 23 anos, é a mulher que foi presa por perseguir um médico de Minas Gerais por cerca de cinco anos. Em entrevista exibida no Fantástico no domingo (19), o profissional destacou que, em um único dia, Kawara teria enviado mais de 1,3 mil mensagens e feito 500 ligações.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

A jovem, que se apresenta nas redes sociais como artista plástica, foi detida no início de maio por “stalking”, pratica considerada crime desde 2021 e que é praticado quando uma pessoa persegue a outra, seja pessoalmente ou por meio de telefonemas e mensagens. A pena pode variar de seis meses a dois anos de prisão.

Como gaúcho viveu por cinco anos em histórico hotel de Nova York pagando apenas 200 dólares

No caso de Kawara, ela agiu das duas formas na expectativa de ter um relacionamento amoroso com o profissional. O Fantástico foi a Ituiutaba, no Triângulo Mineiro, onde aconteceu essa história para ouvir o médico, que pediu para não ser identificado na reportagem. Ele contou que conheceu a moça em 2018, quando enfrentava problemas de depressão, e que ela começou a persegui-lo no ano seguinte.

Continua depois da publicidade

— Ela teve acesso ao meu celular e começou a passar mensagens e fotos perturbadoras mesmo, amarrando lençol, corda no pescoço, se despedia de mim. Eu entrei em pânico — relatou ele ao Fantástico.

Conforme o médico, a mulher o procurava para atendimento tanto em sua clínica quanto no hospital particular em que fazia plantões. Em dado momento, ele começou a pedir para que outro profissional a atendesse, a fim de evitar contato. No entanto, passou a receber mais e mais mensagens, com tons cada vez mais ameaçadores.

Conforme a reportagem, Kawara também entrou em contato por telefone com a mulher do profissional e também para o filho dele. Além dos telefonemas e das mensagens, as investigações da polícia encontraram montagens feitas por ela em redes sociais para dar a impressão de que os dois tinham um caso.

Além do contato telefônico, ela também começou a persegui-lo na rua. Em 2022, ela chegou a invadir o consultório enquanto o homem atendia outra paciente e imagens exibidas no programa também mostram Kawara agredindo a esposa do médico.

Continua depois da publicidade

Prisões

No ano passado, a polícia prendeu a jovem em flagrante, mas ela ficou detida apenas uma semana após pagamento de fiança de R$ 3,5 mil. Na ocasião, ela passou a responder em liberdade. Em março de 2023, a Justiça determinou a prisão preventiva dela por voltar a descumprir as medidas cautelares.

Kawara ficou mais de um ano foragida até ser presa na semana passada em uma faculdade em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, onde estudava nutrição.

Em entrevista ao Fantástico, o advogado da mulher afirmou que houve envolvimento entre os dois. Já o médico nega que tenha tido qualquer relacionamento com ela.

Continua depois da publicidade

*Com informações do Fantástico, da Globo

Leia também

A curiosa história por trás de “Bebê Rena”, série surpreendente da Netflix 

Destaques do NSC Total