nsc
santa

#SANTA50ANOS

Relembre a linha do tempo do Santa, o jornal mais premiado do Estado

Vencedor de cinco Prêmios Esso, Jornal de Santa Catarina colecionou conquistas e reconhecimentos pelo bom jornalismo nestes 50 anos

22/09/2021 - 06h00 - Atualizada em: 24/09/2021 - 08h56

Compartilhe

Redação
Por Redação Santa
Momentos importantes da história da cidade renderam ao jornal premiações histórias com o Esso, o principal do jornalismo brasileiro, em 1982 (D) e 1983 (C).
Momentos importantes da história da cidade renderam ao jornal premiações histórias com o Esso, o principal do jornalismo brasileiro, em 1982 (D) e 1983 (C).
(Foto: )

De 1971 a 2021 muita coisa mudou no Santa. O jornal em formato standard deu lugar ao tablóide. A edição, antes diária, agora é semanal e com foco na internet — que nem sequer existia meio século atrás. A sede passou pelas ruas São Paulo e Bahia e, agora, fica na Getúlio Vargas, no Centro. Neste 22 de setembro em que celebra 50 anos, veja a linha do tempo do jornal mais importante do Vale do Itajaí e relembre a história.

> Receba notícias de Blumenau e do Vale por WhatsApp

> Confira 50 capas histórias do Jornal de Santa Catarina

> Relembre 20 fotos marcantes de Blumenau e região publicadas no Santa

A linha do tempo do Santa

22/9/1971 - Por iniciativa dos empresários Wilson de Freitas Melro, Flávio Rosa, Caetano Deeke e Flávio de Almeida Coelho, é lançada a primeira edição do Jornal de Santa Catarina, apelidado à época de JSC, não de “Santa”. A proposta era de ser um veículo de comunicação que abrangesse todos os municípios do Estado, a partir de uma produção feita em Blumenau. A redação era formada por 40 jornalistas e a impressão era feita no formato off-set, tecnologia de ponta à época e que representava o pioneirismo do jornal.

Primeira capa do Santa.
Primeira capa do Santa.
(Foto: )

31/7/1980 - Pela primeira vez uma edição do Santa passa a ter outra cor que não fosse preto ou branco. Com traços e caixas de texto na cor azul, o jornal dá um passo para que 14 anos depois chegasse às bancas o primeiro exemplar colorido.

1982 - Neste ano, a Ponte do Salto não resistiu ao tempo e desabou. Uma série de reportagens publicadas por Luiz Antônio Soares e que geraram, também, uma campanha pela reconstrução da estrutura, rendeu o primeiro Prêmio Esso de Jornalismo ao Jornal de Santa Catarina — o mais importante da imprensa no Brasil —, na categoria Regional Sul.

Queda da Ponte do Salto, em 1982. Mobiização pela reconstrução rendeu a Santa o primeiro Prêmio Esso
Queda da Ponte do Salto, em 1982. Mobiização pela reconstrução rendeu a Santa o primeiro Prêmio Esso
(Foto: )

1983 - O Santa enfrentou, junto com todo o Vale do Itajaí, o drama das enchentes de julho. O Rio Itajaí-Açu atingiu o pico de 15,83 metros e só em Blumenau ao menos 50 mil pessoas foram atingidas. Por conta das dificuldades, o jornal ficou oito dias sem ser entregue à população, e a edição que marcou o retorno também recebeu o Prêmio Esso de Jornalismo, categoria Regional Sul.

Enchente de 1983 em Blumenau. Cobertura da tragédia rendeu ao Santa o segundo Prêmio Esso.
Enchente de 1983 em Blumenau. Cobertura da tragédia rendeu ao Santa o segundo Prêmio Esso.
(Foto: )

1992 - Depois de ser comandado por representantes de indústrias blumenauenses por quase oito anos, da metade da década de 1980 ao início dos anos 1990, o Santa é vendido ao Grupo RBS, do Rio Grande do Sul. A empresa gaúcha fica no comando até 2016, quando o jornal passa a fazer parte da NSC Comunicação.

1992 - Quando passa a integrar o Grupo RBS, a redação do Santa é reestruturada. As máquinas de escrever dão lugar aos computadores que, pela primeira vez, passam a fazer parte da rotina dos jornalistas.

22/9/1994 - No aniversário de 23 anos, o Santa coloca nas bancas a primeira edição colorida.

27/1/1996 - O Santa torna-se o primeiro jornal de Santa Catarina a ter um site voltado à publicação de notícias. As postagens são os textos da edição impressa, colocados na íntegra na página. Como consequência, a redação passa a ter internet, instalada em apenas um computador, mas que agilizou o trabalho da reportagem.

26/2/2001 - O Santa deixa o imóvel na Rua São Paulo, onde era a antiga Fábrica de Chapéus Nelsa, e vai para a nova sede na Rua Bahia, em frente à Ponte do Salto. O jornal fica lá até 2017, quando se muda para a Rua Getúlio Vargas, novamente na Região Central da cidade.

Foto antiga da Fábrica de Chapéus Nelsa. Imóvel foi a casa do Santa de 1971 até 2001.
Foto antiga da Fábrica de Chapéus Nelsa. Imóvel foi a casa do Santa de 1971 até 2001.
(Foto: )

2003 - Chegam à redação as primeiras câmeras digitais, agilizando o trabalho dos repórteres fotográficos que não precisam mais depender de filmes. Com isso, o laboratório para a positivação de imagens vai sendo desativado aos poucos e dá lugar à equipe de uma Central de Tratamento de Imagens.

22/9/2004 - No aniversário de 33 anos, o Santa acompanha uma tendência mundial e abandona o formato standard na edição impressa — aquele tipo de jornal grandão, no estilo da Folha de S. Paulo. Com isso, o tablóide passa a ser utilizado, facilitando o manuseio e tornando os textos mais objetivos à leitura.

Primeira capa no formato tablóide.
Primeira capa no formato tablóide.
(Foto: )

2008 - Vinte e cinco anos depois, o Santa volta a ganhar um Prêmio Esso. Com a cobertura da Tragédia de 2008, capas históricas e o gancho de “Novembro de 2008 - O maior desastre climático do Brasil”, toda a equipe é premiada novamente na Categoria Regional.

Cobertura da tragédia de 2008 rendeu ao Santa mais um Prêmio Esso na categoria regional.
Cobertura da tragédia de 2008 rendeu ao Santa mais um Prêmio Esso na categoria regional.
(Foto: )

12/5/2009 - Com a proposta de trazer imediatismo na produção de conteúdo, o Santa lança o “novo Santa.com.br”. A partir de então, a reportagem passa a produzir conteúdo também voltado à internet, enquanto o impresso passa a focar em matérias mais elaboradas em relação ao digital.

2010 - A capa “Ainda Somos o Único Penta” venceu o quarto Prêmio Esso da história do Jornal de Santa Catarina. Assinada por Bárbara Carvalho, Fabrício Cardoso, Edgar Gonçalves Jr., Denis Pacher, José Werner e Patrick Rodrigues, a criatividade da edição recebeu a premiação na categoria Primeira Página.

"Hexa"? Que nada. Ainda somos o único penta. Capa e sobrecapa que renderam ao Santa um Esso na categoria "Primeira Página".
"Hexa"? Que nada. Ainda somos o único penta. Capa e sobrecapa que renderam ao Santa um Esso na categoria "Primeira Página".
(Foto: )

"Hexa"? Que nada. Ainda somos o único penta. Capa e sobrecapa que renderam ao Santa um Esso na categoria "Primeira Página".
"Hexa"? Que nada. Ainda somos o único penta. Capa e sobrecapa que renderam ao Santa um Esso na categoria "Primeira Página".
(Foto: )

2011 - A série de reportagens “Mestre com Carinho”, de Tatiana dos Santos, Cleisi Soares, Gilmar de Souza e Arivaldo Hermes, vence o Prêmio Esso de Educação, vencendo veículos tradicionais do Brasil como o Estado de S. Paulo e o Valor Econômico.

26/10/2019 - É publicada a primeira edição do Santa em um novo formato, em que o jornal deixa de ser diário, passa a ter uma publicação semanal e volta os olhares para a produção de jornalismo digital.

22/9/2021 - O Santa celebra os 50 anos com foco na produção de conteúdo de qualidade do Vale do Itajaí, oferecendo ao leitor abordagens mais densas em relação à cobertura factual, e com o olhar de colunistas especializados na política, cotidiano e economia de Blumenau e região. Sem nunca esquecer o passado de grandes coberturas, reportagens e conquistas, o jornal olha para o futuro, se reconstrói e mostra a força do jornalismo local.

Capa on-line do Santa nesta terça-feira (21/9).
Capa on-line do Santa nesta terça-feira (21/9).
(Foto: )

Colunistas