Um assassinato brutal que marcou os notíciários no meio da pandemia, em 2020. Esse é o caso da família Gonçalves, tema do episódio desta quinta-feira (2), do Linha Direta. O programa da TV Globo irá realizar a restituição do crime, além de trazer depoimentos inéditos dos familiares de Romuyuki Gonçalves, Flaviana Gonçalves e do filho mais novo do casal, Juan Gonçalves, vítimas de um crime planejado pela outra filha do casal, Anflávia Gonçalves.

Continua depois da publicidade

Siga as notícias do Hora no Google Notícias

De acordo com as investigações do caso, a filha mais velha do casal teria cometido o crime, em conjunto com a namorada, Carina Ramos, para levar um quantia de dinheiro que estaria guardada em um cofre. Porém, versões diferentes do caso foram apresentadas pelos envolvidos. Alguns afirmam que o crime seria apenas um assalto e que a morte foi planejada depois, mas outros apontam que a filha e a namorada seriam mandantes da chacina. Ambas, já foram condenadas e outros três participantes do caso já estão presos.

O crime foi descoberto após a denúncia do incêndio no carro da família, em uma estrada de São Bernardo do Campo, cidade vizinha de Santo André, e no ABC Paulista. Policiais foram chamados por conta das chamas, mas acabaram descobrindo os três corpos dentro do carro.

Continua depois da publicidade

O que aconteceu no caso da família Gonçalves?

A chacina da Família Gonçalves começou na noite do dia 27 de janeiro de 2020 e terminou no dia 28. Porém, o planejamento começou antes da data. Isso porque, tudo começou, quando a filha mais velha do casal iniciou um relacionamento com Carina Ramos. As brigas entre Anaflávia e os pais, que não aceitavam a relação, eram constantes e ela chegou a se mudar da casa em que morava com a família, em Santo André, no Estado de São Paulo, para morar com Carina.

De acordo com relatos das investigações, Anflávia e Carina passavam por dificuldades financeiras, e então, decidiram realizar o assalto aos próprios pais. O foco da dupla seria um cofre que o pai guardava em casa, o qual teria R$ 85 mil reais de uma herança recebida. Para execução do roubo, Juliano e Jonathan Ramos, primos de Carina, foram chamados. Além deles, outra pessoa também teve participação, Guilherme da Silva.

Na noite do dia 27 de janeiro, Carina e Anaflávia, além de Juliano, Jonathan e Guilherme, foram até a casa da família. Lá estavam o pai e o irmão mais novo de Anflávia, Juan, com apenas 15 anos na época. A mãe da família, Flaviana, chegou no meio da ação. Após procurarem pelo cofre oupelo dinheiro, mas sem sucesso, foi que a ideia da morte da família teria surgido. É nesse momento que as histórias entram em contradição.

Continua depois da publicidade

Mesmo sem encontrarem o dinheiro, os criminosos decidiram levar pertences da casa, como joias e uma arma. Dólares e cerca de R$ 8 mil reais também foram levados, além de eletrodomésticos e o carro da família.

Por que a motivação para a chacina tem divergências?

Anaflávia e Carina negam que o planejamento da chacina tenha sido feito desde início. Segundo o depoimento delas, a ideia da chacina foi dos primos de Carina. Porém, na restituição do crime e nos depoimentos, ambos alegam que a ideia foi da prima. A decisão teria sido tomada entre as duas após perceberem que o dinheiro não estava na casa. Guilherme, que era vizinho das namoradas, não disse de quem seria a intenção de matar.

A divergência também está em quem teria tido a ideia de carbonizar os corpos. Porém, mesmo sem serem esclarecidos, estes pontos serviram para a condenação do grupo de cinco criminosos por roubo, homicídio doloso qualificado, por motivo torpe, meio cruel e recurso que dificultou as defesas das vítimas, ocultação de cadáver e associação criminosa.

Continua depois da publicidade

Quem eram as vítimas da chacina da família Gonçalves?

As três pessoas assassinadas eram pai, mãe e filho.

  • Romuyuki Veras Gonçalves, tinha 43 anos na época e era empresário prestador de serviços de uma montadora de veículos
  • Flaviana de Meneses Gonçalves, tinha 40 anos, era mãe de Anaflávia e proprietária de duas perfumarias
  • Juan Victor Gonçalves, tinha 15 anos e era filho do casal Romuyki e Flaviana, além de irmão de Anaflávia

Como as vítimas morreram?

De acordo com a perícia, a causa da morte das vítimas foi espancamento, com pauladas na cabeça. Embora os corpos tenham sido carbonizados e encontrados no carro da família, em São Bernardo do Campo, os membros da família foram mortos antes.

Continua depois da publicidade

A reconstituição do crime ainda aponta que eles podem ter sido asfixiados com sacolas plásticas e água sanitária antes da morte.

Leia também

Linha Direta 2024: horário, apresentador e tudo sobre o programa

Como assistir ao Linha Direta online?

Caso Beatriz: relembre o assassinato tema do Linha Direta

Quem é o falso profeta que vira tema de episódio do Linha Direta

Destaques do NSC Total